O que é Globalização?

A globalização acontece a partir de uma ligação entre diferentes países e tem reflexos em vários ramos, principalmente o econômico. O processo, que começou no século XVIII, cresce cada vez mais, e carrega consigo aspectos positivos e negativos. Entenda quais são.

O processo de integração de mercados, que acontece quando diferentes países interagem economicamente é denominado Globalização.

O conceito é usado cotidianamente, no entanto, nem sempre se sabe o que ele significa na prática. Por esse motivo, é bom entender quais são suas origens e seus pontos positivos e negativos.

A globalização, portanto, ultrapassa o ramo da economia. O termo é aplicado também em outros campos, como os sociais, culturais e tecnológico. Sendo o último uma imersão mais recente.

Na esfera econômica, a expressão já é utilizada há anos através do comércio internacional. A globalização começou a acontecer com maior expressão quando os países europeus procuravam por produtos em outros continentes.

Assim sendo, pode-se dizer que o processo faz parte do sistema capitalista e é estruturado por países com uma abertura econômica significativa, além da integração de seus mercados financeiros.

Globalização: como se iniciou?

A globalização não é um processo estável por ser um fator econômico-social. Dessa forma, o sistema já teve altos e baixos consideráveis. Durantes as Grandes Guerras, por exemplo, foram períodos de maior redução.

Em seus primórdios, no século XVIII, em que controle estatal e o protecionismo predominavam na política econômica dos países, pessoas que defendiam o mercantilismo entraram em confronto com a globalização.

O comércio, então, foi se desenvolvendo de acordo com as produções de cada um, em que alguns geravam certos produtos com melhor qualidade.

Em contrapartida, outros, por falta de técnicas, tecnologias ou até mesmo por questões geográficas não davam conta de se especializar em determinado bem ou serviço.

Assim sendo, ainda no século XVIII o conceito denominado vantagem comparativa passou a ser utilizado. A expressão tinha ênfase no comércio internacional e é aplicada quando um país consegue produzir bens com maior eficiência que outros.

Portanto, quando isso acontece, é possível vender para outros países, e estes fazem a mesma coisa com determinado bem que são especializados.

A globalização foi caminhando, e no século XIX o avanço foi perceptível por meio de uma maior integração da política e dos preços. Além disso, as tecnologias de produção e de transportes começaram a se desenvolver.

Vale ressaltar que, atualmente, os dois mercados estão em sintonia. Isso acontece pelo fato de os preços caírem em relação aos transportes e alguns governos estarem praticando a abertura econômica.

Globalização: vantagens e desvantagens

Um dos pontos mais positivos da globalização, quando a questão são as economias do mundo, é a integração de tecnologias e dos produtos que são oferecidos.

O maior exemplo desta integração são os smartphones presentes no mundo todo. Além disso, o conceito ainda é apontado como fator de enriquecimento para aquelas economias emergentes, que estão em fase de desenvolvimento. Como o Brasil, por exemplo.

No entanto, neste processo de integração, muitos países ficam prejudicados pelo fato de as crises econômicas serem compartilhadas. Um exemplo recente foi em 2008, quando uma crise no mercado imobiliário atingiu diversos países.

Pontos positivos: 

  • Acesso a produtos que são produzidos em outros países;
  • Mercados mais competitivos e inflação bem controlada;
  • Maior fluxo de capitais e investimentos entre os países;
  • Maior desenvolvimento tecnológico;
  • Se tratando do aspecto social, a globalização permitiu o encontro entre diferentes culturas e também o maior desenvolvimento de setores. O turismo, por exemplo.

Pontos negativos: 

  • Maior propagação de crises financeiras e econômicas;
  • Pode haver maior desemprego no país pelo fato de alguns setores da economia não conseguirem se adequar à competição;
  • Em países emergentes, ou seja, em desenvolvimento, pode ser difícil investir em novas indústrias que já existem em países desenvolvidos com custos mais baixos e uma tecnologia melhor;
  • Em países de pequenas dimensão, pode haver um monopólio da economia com a entrada de multinacionais;
  • Exploração de matéria-prima e mão de obra barata de empresas de países desenvolvidos nos mais pobres.

Globalização: causas e efeitos

A globalização é percebida em vários países, principalmente pela crescente de privatizações, fator que demonstram as políticas adotadas por eles.

Além disso, regulamentos e burocracias, aspectos que afastam investidores estrangeiros, diminuem constantemente. Outro ponto a ser notar é a liberdade de comércio. A prática é cada vez mais adotada entre países distintos.

Para exemplificar, destacam-se a criação do mercado único entre Estados Unidos e Canadá, e também o mercado europeu, desde 1993. Além disso, na Europa, pode-se dizer que a interação foi ainda maior pelo fato do continente ter adotado o Euro como moeda comum em vários países.

Assim sendo, na atualidade, a globalização tem uma crescente constante. Isso se dá pelas políticas que são adotadas, mas também pelo fato dos investimentos entre fronteiras estarem mais viabilizados, em decorrência da diminuição dos custos com transporte.

Além disso, há diversos efeitos que podem ser sentidos com o mundo globalizado. Dentre eles, é perceptível o número crescente de empresas multinacionais. Ademais, a padronização mundial que existe para que medidas e qualidade de produtos e serviços possuam um determinado modelo.

Veja mais sobre

O que é Globalização?
Avalie
Voltar ao topo

Notícias relacionadas

Deixe um comentário