scorecardresearch ghost pixel

Saiba o que fazer caso o auxílio emergencial de R$ 600 tenha sido negado

Brasileiros que tiveram o auxílio negado pode recorrer da decisão. A revisão é solicitada pelo próprio aplicativo da Caixa.

Diante à pandemia do coronavírus, o Governo Federal liberou para os trabalhadores o auxílio emergencial de R$ 600 a R$ 1.200. Para garantir o benefício é necessário cumprir alguns requisitos, mas por conta disso muita gente teve o pedido negado.

Com o objetivo de solucionar esse problema, brasileiros que tiveram o auxílio negado podem recorrer da decisão. A revisão é solicitada pelo próprio aplicativo da Caixa.

A função para entrar com recurso está disponível desde segunda-feira, dia 20 de abril. De acordo com dados da Dataprev, responsável pelo pagamento, cerca de 3,5 milhões de informais tiveram o registro negado.

O órgão aponta que cerca de 11,6 milhões necessitam de revisão cadastral e outros 1,7 milhão deverão passar por processamento adicional. Além disso, 22 milhões inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) não foram habilitados.

Tive o pedido de auxílio emergencial negado, o que fazer?

Para quem teve o pedido do auxílio emergencial negado, por meio do aplicativo do auxílio é possível realizar uma nova solicitação ou a contestação do resultado da análise.

Caso o cidadão inscrito no CadÚnico tenha sido reprovado, ele poderá solicitar uma nova avaliação pelo aplicativo ou site.

A consulta do resultado será liberada ainda nesta semana, após o recebimento pela Caixa dos arquivos a serem enviados pela Dataprev.

Por outro lado, caso o retorno da análise do pedido seja “dados inconclusivos”, será permitido realizar nova solicitação. De acordo com a Caixa, os motivos para essa resposta são:

  • Marcação como chefe de família, mas sem a respectiva indicação de nenhum dependente;
  • Falta da inserção da informação de sexo;
  • Dados de membros da família informados incorretamente, como CPF e data de nascimento;
  • Divergência cadastral entre membros da mesma família;
  • Inclusão de pessoa que já veio a óbito no grupo familiar.

Em tais casos é necessário que o cidadão reveja os dados, inclua informações corretas e realize um novo pedido. Por outro lado, caso o resultado seja “benefício não aprovado”, o cidadão também poderá contestar o motivo da não aprovação ou realizar uma nova solicitação.

Vale salientar que os sistemas criados pela Caixa e pelo Governo para solicitar e acompanhar o auxílio emergencial podem estar congestionados, por isso a dificuldade em acessar.

Confira também: Urgente! Senado aprova expansão do auxílio de R$ 600 para novos beneficiários


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário