Cadastro Único: Inscritos podem ter acesso a 22 benefícios do governo em 2020

Programas oferecerem ajuda financeira e isenção no pagamento de serviços para famílias que estão em situação de pobreza ou extrema pobreza.

O Cadastro Único (CadÚnico) é uma iniciativa do Governo Federal que reúne um conjunto de informações sobre as famílias brasileiras em situação de pobreza e extrema pobreza.

Essas informações são utilizadas pela União, estados e municípios para implementação de políticas assistencialistas, como o Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica, Minha Casa, Minha Vida, entre outros.

Famílias que ganham até meio salário mínimo por pessoa ou até 3 salários mínimos de renda mensal total podem se inscrever no CadÚnico. Esse passo é fundamental, já que programas e benefícios sociais utilizam o Cadastro Único como base para seleção das famílias de baixa renda.

Políticas assistencialistas

Conheça os 22 benefícios vinculados ao CadÚnico que oferecerem ajuda financeira e/ou isenção no pagamento de serviços para pessoas em situação de vulnerabilidade social:

  1. Aposentadoria para Pessoas de Baixa Renda;
  2. Tarifa Social de Energia Elétrica;
  3. Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  4. Programa Minha Casa Minha Vida;
  5. Carteira do Idoso;
  6. Bolsa Família;
  7. Telefone Popular;
  8. Isenção de Pagamento de Taxa de Inscrição em Concursos Públicos;
  9. Programas Cisternas;
  10. Água para Todos;
  11. Bolsa Verde (Programa de Apoio à Conservação Ambiental);
  12. Bolsa Estiagem;
  13. Fomento às Atividades Produtivas Rurais/ Assistência Técnica e Extensão Rural;
  14. Programa Nacional de Reforma Agrária;
  15. Programa Nacional de Crédito Fundiário;
  16. Crédito Instalação;
  17. ENEM;
  18. Serviços Assistenciais;
  19. Programa Brasil Alfabetizado;
  20. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti);
  21. Identidade Jovem (ID Jovem);
  22. Carta Social.

Como se inscrever o CadÚnico

Periodicamente, agentes do município realizam visitas domiciliares às famílias de baixa renda para efetuar o cadastramento. Mas caso a família se enquadre nos requisitos – ganhar até meio salário mínimo por pessoa ou até 3 salários mínimos de renda mensal – e ainda não está inscrita no Cadastro Único, pode procurar um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) no município para fazer a inscrição.

Para que a família possa ser cadastrada, é importante ter uma pessoa responsável pela família, maior de 16 anos, para responder às perguntas do cadastro. Para o responsável pela família, de preferência uma mulher, como afirma a Caixa, é necessário o CPF ou Título de Eleitor.

A exceção é paro o responsável por famílias indígenas e quilombolas. Neste caso, serão aceitos documentos como: Certidão de Nascimento; Certidão de Casamento; RG; Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI) ou Carteira de Trabalho. É fundamental que após o cadastramento a família mantenha os dados sempre atualizados.

Leia também: Descubra como o Renda Brasil pode mexer com os seus benefícios

Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário