Auxílio emergencial: Adicional de R$ 1.200 está sendo pago, mas parte dos beneficiários não recebe valor integral

Somente beneficiários que começaram a receber em abril terão direito ao valor total, com o pagamento das parcelas entre setembro e dezembro.

Em setembro, o Governo Federal oficializou a prorrogação do auxílio emergencial até dezembro. A medida estabelece o pagamento de mais quatro parcelas, agora no valor de R$ 300. Assim, além das cinco parcelas de R$ 600, haverá o pagamento adicional de até R$ 1.200 na segunda etapa do programa.

A equipe econômica do governo justificou que o valor do benefício teve de ser reduzido devido a responsabilidade fiscal, uma vez que o auxílio emergencial custa muito para os cofres públicos. De acordo com a União, o custo mensal durante a primeira fase do programa chegou a R$ 50 bilhões.

Para a segunda fase, o governo estabeleceu novas regras para definir quem continuará recebendo o benefício. Entre as mudanças, estão os critérios relacionados ao Imposto de Renda, que passam a considerar o ano base de 2019 e não mais o de 2018.

Além disso, quem conseguiu emprego formal e benefícios previdenciários e assistenciais depois de ter recebido o auxílio emergencial não irá receber as parcelas adicionais, bem como detentos que estão em regime fechado e brasileiros que moram no exterior.

Quem irá receber?

Os pagamentos de R$ 300 serão realizados automaticamente após a conclusão dos depósitos de R$ 600, sem a necessidade de realizar um novo cadastro. Entretanto, nem todos os beneficiários que continuarem elegíveis no programa receberão todas as parcelas adicionais.

Isso porque os pagamentos devem, necessariamente, terminar até o dia 31 de dezembro de 2020, quando expira o decreto do estado de calamidade pública em decorrência da pandemia de Covid-19.

Como muitos dos beneficiários começaram a receber com atraso, seja porque se cadastraram no programa tardiamente, devido a falhas durante a análise ou mesmo passaram a receber somente após contestação judicial, não receberão o valor total das parcelas adicionais.

Desta forma, somente aqueles que começaram a receber em abril terão direito ao valor de R$ 1.200, com o pagamento das parcelas entre setembro e dezembro. Quem recebeu o primeiro pagamento em julho, por sua vez, receberá apenas uma parcela de R$ 300 no fim do ano.

Calendário de pagamentos

Os pagamentos das parcelas adicionais tiveram início no dia 30 de setembro, e seguem até o dia 1º de novembro. Já os saques e transferências serão liberados até o dia 05 de dezembro.

Para quem começou a receber no mês de abril, já estão sendo realizados os pagamentos referentes à sexta parcela do auxílio emergencial, que é a primeira no valor de R$ 300. Entretanto, no mesmo calendário, também há beneficiários que ainda estão recebendo pagamentos de R$ 600, já que receberam o primeiro pagamento mais tarde.

Confira o calendário completo de pagamentos a seguir:

Depósito em conta

  • 30 de setembro – nascidos em janeiro
  • 5 de outubro – nascidos em fevereiro
  • 7 de outubro – nascidos em março
  • 9 de outubro – nascidos em abril
  • 11 de outubro – nascidos em maio
  • 14 de outubro – nascidos em junho
  • 16 de outubro – nascidos em julho
  • 21 de outubro – nascidos em agosto
  • 25 de outubro – nascidos em setembro
  • 28 de outubro – nascidos em outubro
  • 29 de outubro – nascidos em novembro
  • 1º de novembro – nascidos em dezembro

Saque e transferência

  • 7 de novembro – nascidos em janeiro
  • 7 de novembro – nascidos em fevereiro
  • 14 de novembro – nascidos em março
  • 21 de novembro – nascidos em abril
  • 21 de novembro – nascidos em maio
  • 24 de novembro – nascidos em junho
  • 26 de novembro – nascidos em julho
  • 28 de novembro – nascidos em agosto
  • 28 de novembro – nascidos em setembro
  • 1º de dezembro – nascidos em outubro
  • 5 de dezembro – nascidos em novembro
  • 5 de dezembro – nascidos em dezembro

Leia também: Saiba como pagar contas com o cartão do auxílio emergencial

Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário