scorecardresearch ghost pixel

Deputado diz que Guedes pode propor a volta do auxílio emergencial

Deputado Baleia Rossi (MDB-SP), candidato à presidência da Câmara, afirma que o ministro Paulo Guedes deve propor a volta do auxílio emergencial.

Mais uma vez, voltam a correr entre os parlamentares alguns rumores sobre uma possível prorrogação do auxílio emergencial para 2021. Segundo o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), atualmente candidato a presidente da Câmara dos Deputados, o ministro da Economia Paulo Guedes, poderá propor a volta benefício neste ano.

O motivo apresentado por Rossi para tal afirmação é a postura do deputado Arthur Lira (PP-AL), também candidato à presidência da Câmara, que tem dado sinais de que a retomada do auxílio emergencial irá se concretizar.

O deputado acredita que Lira, que é ligado ao Palácio do Planalto, está apenas respeitando a posição do presidente Jair Bolsonaro. Baleia Rossi afirma que um possível projeto para volta do benefício, desde que encaixado dentro do Orçamento, preciso ser apresentado por Guedes e pelo time da economia.

O portal Terra garante que Rossi foi o primeiro a defender a prorrogação do auxílio emergencial antes de seu fim, em dezembro. Agora, o deputado pede por mudanças nas despesas que viabilizem o pagamento do benefício com responsabilidade fiscal.

Saques auxílio emergencial

Embora os pagamentos do auxílio emergencial tenham chegado ao fim em dezembro, as liberações para saques e transferências continuam durante este mês.

A Caixa Econômica Federal segue liberando o dinheiro dos beneficiários que ainda têm saldo no aplicativo Caixa Tem até o dia 27 de janeiro. O calendário chegará ao fim com os nascidos em dezembro.

Veja abaixo o cronograma para liberação de saques do auxílio emergencial:

  • Nascidos em setembro – 20 de janeiro;
  • Nascidos em outubro – 22 de janeiro;
  • Nascidos em novembro – 25 de janeiro; e
  • Nascidos em dezembro – 27 de janeiro.

Leia mais: FGTS, Bolsa Família e Auxílio Emergencial: Veja o calendário de benefícios para 2021


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário