scorecardresearch ghost pixel

Alerta Nubank: Golpes para roubar dados se espalham pelo Facebook e Instagram

Fraudes garantem abatimento total da fatura por até um ano, além de descontos de até 50% em lojas, ingressos de shows, serviços de aplicativo e mais.

Diversos anúncios nas redes sociais Instagram e Facebook têm envolvido o nome do Nubank com promessas de desconto em postos de gasolina, oferta de prêmios, dentre outros benefícios para quem possui a conta da fintech ou o cartão de crédito (roxinho).

Porém, trata-se de um golpe que visa roubar o CPF e a senha do cliente. Os posts são patrocinados e utilizam de diferentes atrativos para conseguir atrair as vítimas. Um deles cita a falsa promoção “Salva minha fatura”, que supostamente dá a chance de o usuário deletar as compras do cartão feitas no período de um ano.

Outros anúncios encontrados no Instagram oferecem desconto de até 50% em serviços de Uber, cinema, compras e shows, e redução de 30% no preço de combustíveis da rede postos Shell Ipiranga.

Anúncio levam usuário a site de pishing

Todos os anúncios e propagandas falsas que levam o nome do Nubank tem apenas um único objetivo: encaminhar o consumidor para um site de pishing. Isso possibilita que eles obtenham dados do usuário, como nome, número e senha do cartão. Com as informações em mãos, os criminosos podem tentar realizar compras online ou transferir dinheiro da conta do Nubank.

“Recebemos relatos de clientes e não-clientes denunciando tentativas de enganar o consumidor usando a nossa marca. Sites falsos e mensagens mentirosas enviadas por WhatsApp, e-mail e redes sociais são os mais comuns”, disse o Nubank em seu blog, na tentativa de alertar os consumidores sobre as práticas ilegais.

Para em caso de dúvida, o Nubank recomenda entrar em contato por meio do chat do aplicativo ou através do seguinte e-mail: [email protected] Também é possível denunciar os falsos anúncios junto às plataformas sociais, como o Instagram e Facebook.

Leia ainda: Conheça 6 mitos sobre o cartão de crédito Nubank; Veja antes de pedir


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário