scorecardresearch ghost pixel



Saiba qual a previsão do governo para o salário mínimo de 2022

Valor consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias, cujo relatório preliminar foi aprovado no início desta semana pela Comissão Mista de Orçamento.



O relatório preliminar da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) contendo informações sobre o valor do salário mínimo de 2022 foi aprovado na último segunda-feira, 12. O documento, que passou pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), apresenta uma previsão do piso nacional que entra em vigor no próximo ano.

O valor é apenas um indicativo, já que a situação econômica do país pode exigir novos reajustes para que os trabalhadores não percam poder de compra. Vale destacar que o governo Bolsonaro não oferece aumento real no salário mínimo, apenas corrige seu valor para cobrir as perdas com a inflação.

Leia mais: Salário mínimo 2022: Novo valor deve impactar PIS/Pasep, INSS e seguro-desemprego

Previsão

O documento indica que o piso nacional chegará a R$ 1.174 em 2022, aumentando para R$ 1.188 em 2023, e passando para R$ 1.229 em 2024. A alteração leva em conta um Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INCP) médio de 4,3%.

A proposta também considera um aumento de 2,5% no Produto Interno Bruto 
(PIB) do país, com inflação a 3,5% e dólar a R$ 5,1. As perspectivas são otimistas, especialmente considerando o atraso na vacinação contra a Covid-19 no Brasil.

Impactos em benefícios

Veja também: Saiba como evitar golpes com promessas de 14º salário do INSS e ‘aposentadoria já’

O piso nacional altera, além da remuneração dos trabalhadores, o valor de benefícios como pensões e aposentadorias, seguro- desemprego, abono salarial, auxílio-doença, Benefício de Prestação Continuada (BPC) e outros.

Um possível reajuste para R$ 1.174 em 2022 elevaria tanto o valor mínimo dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que deve equivaler ao piso nacional, quanto o teto. Sendo assim, casa segurado poderia receber até R$ 6.624,30, enquanto atualmente o limite é de R$ 6.351,20.

A mesma mudança vale para o abono salarial PIS/Pasep e o seguro-desemprego, já que ambos têm como base de cálculo o valor do salário mínimo.




Voltar ao topo

Deixe um comentário