scorecardresearch ghost pixel



INSS vai cortar 85 mil benefícios de quem não agendou perícia médica

A lista com todos os nomes dos convocados para a perícia obrigatória está no Diário Oficial da União.



Os beneficiários do auxílio-doença que não fizeram a perícia médica nos últimos seis meses devem ficar atentos. O INSS convocou mais de 85 mil segurados para realização do exame com um perito federal.

Leia mais: Como funciona a aposentadoria de empregadas domésticas formais e informais?

Apenas as pessoas que recebem o benefício por incapacidade temporária, como é chamado atualmente o auxílio-doença, precisam fazer a perícia. De acordo com informações da Agência Brasil, a “Operação Pente-Fino” quer impedir qualquer tipo de fraude que possa acontecer no recebimento deste benefício.



A convocação dos beneficiários começou no dia 27 de setembro. Na época o INSS chamou 95.588 pessoas por meio de correspondências e de edital publicado no Diário Oficial da União para fazerem, com urgência a perícia médica.

De acordo com as informações divulgadas pelo INSS apenas 10.397 pessoas marcaram o exame obrigatório. Sendo assim, 85.191 podem perder seus benefícios a qualquer momento.

Auxílio-doença

O auxílio-doença oferece um salário aos trabalhadores que tiveram que parar de trabalhar devido a uma condição de saúde física ou mental ou outra deficiência relacionada ou não ao seu trabalho.



Os peritos médicos federais analisam cada caso para verificar quanto tempo você precisa para se recuperar de sua condição médica. Além disso, se o seu perito atestar que você não pode mais trabalhar, pode ocorrer a mudança de incapacidade temporária para aposentadoria por invalidez.

A lista com todos os nomes dos convocados para a perícia obrigatória está no Diário Oficial da União. Essas pessoas listadas no edital não foram localizadas nos endereços que se encontram no sistema do INSS.

Para agendar a perícia é muito fácil. O beneficiário deve acessar o aplicativo Meu INSS, ligar no 135 ou acessar o site do INSS. De acordo com a Agência Brasil, os documentos solicitados são:

  • Número do RG.
  • Número do CPF.
  • Exames que comprovam a invalidez temporária.
  • Laudo de um profissional contendo o CRM, CID e a dados detalhados da doença.




Voltar ao topo

Deixe um comentário