scorecardresearch ghost pixel



Vale-gás começa no próximo dia 18; Veja o calendário e quem recebe

Governo federal fará os repasses do vale-gás em paralelo aos pagamentos do Auxílio Brasil de R$ 400.



O calendário de pagamentos do vale-gás terá início no próximo dia 18 de janeiro de 2022. O benefício no valor de R$ 52 foi pago até momento somente para as famílias atingidas pelas chuvas em cidades de Minas Gerais e Bahia. Neste mês, os repasses serão destinados aos demais beneficiários.

Leia mais: Auxílio emergencial terá dois novos repasses em 2022

O governo federal fará os repasses do vale-gás em paralelo aos pagamentos do Auxílio Brasil de R$ 400. Os dois benefícios serão creditados pela Caixa Econômica Federal. O cronograma de pagamento foi estabelecido de acordo com o Número de Inscrição Social (NIS) de cada beneficiário.



Qual o valor do vale-gás nacional?

O vale-gás é um auxílio voltado para famílias de baixa renda com dificuldade em comprar o botijão de gás de 13 kg. O valor da ajuda é de, no mínimo, 50% do preço médio de revenda do produto no país (atualmente, na faixa dos R$ 102).

Calendário de pagamentos do vale-gás em janeiro

Veja a seguir as datas de pagamento da ajuda para este mês:

NIS 1 18 de janeiro
NIS 2 19 de janeiro
NIS 3 20 de janeiro
NIS 4 21 de janeiro
NIS 5 24 de janeiro
NIS 6 25 de janeiro
NIS 7 26 de janeiro
NIS 8 27 de janeiro
NIS 9 28 de janeiro
NIS 0 31 de janeiro


Quem tem direito ao benefício?

Veja a seguir os grupos que recebem ajuda. Para a seleção dos elegíveis, foi consideração a situação social e econômica dos beneficiários. Confira:

  • Famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico), cuja renda familiar mensal per capita é menor ou igual a meio salário mínimo nacional;
  • Famílias que possuem entre seus membros (residente da mesma casa) quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • A lei determina ainda que o auxílio será concedido “preferencialmente às famílias com mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência”.




Voltar ao topo

Deixe um comentário