scorecardresearch ghost pixel



Netflix vai ficar mais cara e usuários ameaçam cancelamento

Após anúncio de aumento de preços feito nos Estados Unidos, plataforma de streaming virou alvo de ameaças de cancelamento em massa. Veja quanto podem subir os planos



A Netflix aumentou o valor de sua assinatura há pouco tempo, ainda no mês de agosto de 2021. Na época, diversos usuários reclamaram, mas no geral a mudança foi aceita sem muitos problemas pelo público.

Contudo, a situação mudou de figura recentemente, já que a plataforma anunciou uma nova rodada de aumentos em seus planos nos Estados Unidos. Por lá, a Netflix vai ficar mais cara e muitos não gostaram dessa informação.

Veja também: Descubra quais são as melhores comédias no Amazon Prime Video

De acordo com as informações divulgadas até o momento, a Netflix deve subir entre US$ 1 e US$ 2 o preço da assinatura.

Se o mesmo procedimento for aplicado ao Brasil, seria como se os planos ficassem entre R$ 10 e R$20 mais caros, em média. Dá para entender a insatisfação, uma vez que há menos de um ano os preços subiram significativamente.



Netflix vai ficar mais cara? Usuários ameaçam cancelamento em massa

Como era de se imaginar, o anúncio gerou grandes revoltas que foram expressas em vários perfis nas redes sociais. Especialmente no Twitter, diversos usuários se indignaram diante da possibilidade de novo reajuste. Na verdade, os assinantes começaram a considerar a atitude da empresa abusiva.

“Estou prestes a cancelar minha conta da Netflix. Vocês ficam aumentando o preço para que?”, reclamou uma usuária. “Todo ano recebemos esse e-mail da Netflix. Agora chega! Eles começaram com US$ 5 e agora… Precisamos levantar nossas vozes como consumidores e parar isso. Se eles não escutarem, precisamos cancelar as assinaturas da Netflix”, disse outro usuário do Twitter.



E no Brasil, a Netflix vai ficar mais cara também?

Vale destacar que a Netflix fez um sucesso estrondoso desde o início justamente por conta do baixo custo. A plataforma de streaming era conhecida por democratizar o acesso à 7ª arte (cinema), uma vez que cobrava pouco e oferecia muito. O problema é que os assinantes se acostumaram a manter os planos por preços atrativos.

No Brasil mesmo, o serviço começou a ser oferecido pelo preço de R$ 9,90 por mês. Caso esse aumento se reflita por aqui, pode ser que alguns dos planos cheguem próximo da casa dos R$ 80. No entanto, a empresa não disse se vai aumentar o preço em países da América do Sul. Por isso fica a expectativa de que o pior não aconteça.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário