scorecardresearch ghost pixel



Auxílio Brasil: até quando as famílias podem movimentar o dinheiro?

As famílias têm um prazo para movimentar o dinheiro do Auxílio Brasil. Veja qual o limite para garantir o recebimento do benefício.



O Auxílio Brasil, programa de transferência de renda, paga o valor de R$ 400 para as famílias cadastradas no programa. Nesta quarta-feira (19) recebem os beneficiários com o Número de Inscrição Social (NIS) de final 4. O calendário segue até o dia 29 deste mês. Veja até quando é possível movimentar o Auxílio Brasil.

Leia mais: 13º do INSS começa semana que vem, mas consulta ao saldo está liberada

Antes de tudo é importante saber que apesar da sequência de pagamentos, as famílias não são obrigadas a movimentar o dinheiro de imediato. Ou seja, a grana continua disponível por um determinado tempo. Fato é que diante do cenário econômico do Brasil é difícil encontrar quem já não esteja com o recurso comprometido.



Movimentar o Auxílio Brasil

É a sexta rodada de pagamentos do Auxílio Brasil. De acordo com as regras do programa, as famílias beneficiadas têm até 120 dias para usarem o dinheiro. Assim, ele pode ficar parado por até quatro meses sem qualquer prejuízo. Mas, o que se sabe é que as famílias que recebem o benefício vivem em situação de pobreza ou extrema pobreza. Logo, quando uma nova rodada é liberada, a maioria faz o uso do dinheiro para arcar com as despesas do mês.

O prazo é definido pelo governo federal como uma forma de controle dos benefícios. Assim, se os beneficiários demorarem tempo demais para usarem o dinheiro, a chance de perder o Auxílio Brasil é muito maior para essas famílias.



Então, a orientação é sempre conferir os valores que estão disponíveis e usar o recurso dentro do prazo de 120 dias para não correr o risco de ter o benefício cortado por falta de movimentação.

Vale também conferir o aplicativo do Cadastro Único (CadÚnico) para checar todos os benefícios que a família recebe mês a mês. Isso porque a entrada no Auxílio Brasil é automática depois de fazer o CadÚnico e ter renda compatível.

Ou seja, o governo analisa a situação de cada família e faz a destinação do benefício social de acordo com a necessidade. Então, alguns cidadãos podem até mesmo nem saber que estão contemplados pelo programa.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário