scorecardresearch ghost pixel



Guedes promete ampliar programas sociais do governo federal

Ministro da Economia afirma que pretende reforçar programas sociais, com o Auxílio Brasil, além de investir em infraestrutura.



O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que tem planos para ampliar programas sociais do governo federal, como o Auxílio Brasil. Durante um evento da Associação Paulista de Supermercados realizado na última segunda-feira, 16, ele também falou sobre mais investimentos em infraestutura e redução em encargos trabalhistas.

Leia mais: Auxílio Brasil emperrou? Veja como sair da lista de espera mais rápido

Segundo ele, o país já tem uma política assistencial consolidada, e agora só precisa reforçar sua estrutura. “Vamos melhorar os programas sociais, a rampa de ascensão social”, disse o ministro.

Guedes também reiterou sua posição sobre o corte de encargos trabalhistas. Recentemente, o chefe da pasta de Economia chegou a chamar de “bomba de destruição em massa” os direitos de trabalhadores que atuam com carteira assinada, como FGTS, PIS/Pasep, 13º salário e férias.



“O Brasil gerou mais de 12 milhões de empregos antes de mexermos nos encargos. Lá na frente, nós vamos rever isso. Nós temos que remover a bomba de destruição em massa de empregos que são os encargos trabalhistas. Vamos ter que atacar esse problema também”.

Em uma crítica a oposicionistas e governos anteriores, ele afirmou que “se eles querem desfazer todas as reformas que estamos fazendo, são os principais mentores da destruição de empregos”.

Infraestrutura

O ministro garantiu que o governo tem planos para realizar grandes investimentos em obras públicas. “O presidente já autorizou, e estamos em um programa de fundo de reconstrução nacional, um grande programa brasileiro por conta da nossa grande incapacidade do setor público de investimentos.”



Segundo ele, o programa de infraestrutura contatará com recursos vindos da venda de ativos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), da Eletrobras e da JBS.

Na visão de Guedes, o país deve atrair a atenção dos estrangeiros nos próximos anos. “O Brasil está perto, é amigo e vai receber essa corrente de investimentos”, completou.




Voltar ao topo

Deixe um comentário