scorecardresearch ghost pixel



Novo RG: Documento será aceito em viagens internacionais; Confira os países

Nele virá o código Machine Readable Zone (MRZ), usado em passaportes para a leitura das informações do indivíduo.



A nova carteira de identidade, ou novo RG, foi divulgada pelo governo federal no mês de fevereiro deste ano. De lá para cá, muitas novidades a respeito do documento vem sendo liberadas, uma delas diz que ele também será aceito em viagens internacionais.

Leia mais: RG Digital: já preciso trocar a carteira de identidade?

Além de utilizar o CPF como número oficial de identificação do cidadão brasileiro, e incluir QR Code para ajudar na análise dos dados do indivíduo de forma segura e digital, a nova carteira de identidade será emitida com padrão internacional.

Isso significa que nela terá o código Machine Readable Zone (MRZ), usado em passaportes para a leitura das informações do titular, principalmente em aeroportos. Nesse sentido, o novo RG funcionará como uma espécie de “documento de viagem”, válido em alguns países.



Quais países aceitarão o novo RG?

A previsão é que o novo RG seja utilizado como documento de viagem apenas em países do Mercosul – Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela (atualmente suspensa). O objetivo é garantir maior praticidade na verificação dos dados do viajante.

Por outro lado, é necessário frisar que a nova carteira de identificação dos brasileiros não substituirá o passaporte, que se manterá necessário, sobretudo por conter dados da pessoa não disponíveis no novo RG.

Dados da nova identidade

Está previsto que o novo documento de identidade também receba um aplicativo capaz de armazenar diversos do dados do cidadão, como carteira de vacinação, carteira de trabalho e carteira de habilitação (CNH).



Apesar de facilitar o acesso a essas informações, o RG atualizado não substituirá totalmente as versões físicas desses documentos.

Lembrando que não há necessidade da troca imediata do RG antigo pelo atual. A população com até 60 anos de idade terá até 10 anos para fazer a mudança. Já aqueles acima dessa faixa etária, segundo o decreto, poderão utilizar o atual RG por “tempo indeterminado”.




Voltar ao topo

Deixe um comentário