scorecardresearch ghost pixel



Veja como se inscrever e deixar os dados atualizados no CadÚnico

Todo cidadão que precisa dos benefícios sociais do governo federal precisa ter inscrição e os dados atualizados no CadÚnico. Confira as formas de atendimento e como evitar que os benefícios sejam bloqueados ou até cancelados.



As famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) devem manter os dados atualizados no sistema. É assim que o governo federal garante a manutenção dos dados e destinação correta dos benefícios. A atualização ficou ainda mais fácil com o app do CadÚnico.

Leia mais: C6 Bank libera Seguro C6 Conta gratuito por 2 meses

De acordo com o governo federal, a atualização dos dados tem que ser feita a cada dois anos ou sempre que existir qualquer mudança na família. Por exemplo, nascimento ou morte, assim como a conquista de um novo emprego que altere a renda.



Dados atualizados no CadÚnico

O usuário pode conferir se os dados estão atualizados de duas formas. Pelo app do CadÚnico ou também por meio do site cadunico.cidadania.gov.br.

É preciso login e senha para acessar as informações pessoais. Depois disso é só clicar na opção de Atualização Cadastral por Confirmação. Mas, atenção: essa informação só está disponível para o responsável familiar.

De acordo com o governo federal, ao não declarar uma informação ao Cadastro Único ou declarar informações incorretas, a família pode ser excluída do cadastro. Em casos mais graves, o responsável familiar pode ser responsabilizado civil e criminalmente. Por isso é importante conceder apenas informações reais.



Além da atualização, por meio do app as famílias conseguem fazer o pré-cadastro e só depois passar pelo atendimento presencial. O cidadão tem até 120 dias para apresentar os documentos pessoais e da família em uma unidade do Centro de Referência em Assistência Social (Cras).

Veja quem pode se inscrever no CadÚnico:

  • renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa;
  • famílias com renda mensal total de até três salários mínimos;
  • renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas do governo;
  • pessoas que moram sozinhas – constituem as chamadas famílias unipessoais;
  • quem vive em situação de rua.




Voltar ao topo

Deixe um comentário