scorecardresearch ghost pixel



Postos aumentam combustíveis antes mesmo da Petrobras

Valor da gasolina nas refinarias passou de R$ 3,86 para R$ 4,06 o litro. Já o diesel subiu de R$ 4,91 para R$ 5,61.



A Petrobras anunciou na última quinta-feira, 16, que o preço da gasolina e do diesel subiriam nas refinarias 5,18% e 14,25%, respectivamente. O aumento impacta toda a cadeia até chegar no consumidor final. No entanto, antes mesmo de o reajuste ser aplicado, muitos postos trocaram imediatamente as tabelas dos combustíveis nas bombas.

Leia mais: Prefeitos vão monitorar o preço dos combustíveis com teto do ICMS

Entre a sexta, 17, e o sábado, 18, motoristas relataram o aumento instantâneo dos combustíveis. Em relato ao GLOBO, representantes de postos de combustíveis, que não tiveram suas identidades reveladas, confirmaram que já trabalhavam na atualização dos valores, que começou a valer desde o último fim de semana nas refinarias.



Um condutor que mora em João Pessoa, Paraíba compartilhou nas redes sociais que quando foi abastecer o carro na noite de quinta-feira, o litro da gasolina custava R$ 6,99.

Entretanto, no dia seguinte, na sexta-feira, ele já custava R$ 7,59. O que não seria justificável, considerando que o aumento anunciado pelo Petrobras entraria em vigor apenas no sábado.

Novo valor da gasolina e do diesel

Após o anúncio de um novo aumento nos combustíveis, o valor da gasolina nas refinarias passou de R$ 3,86 para R$ 4,06 o litro. A alta do diesel foi ainda maior, passando de R$ 4,91 para R$ 5,61.



O combustíveis, junto com o setor dos alimentos, têm sido os grandes causadores do aumento da inflação. O reflexo disso são produtos nas prateleiras cada vez mais caros, pois os custos dos fretes, por exemplo. também sobem. Os valores de todos os reajustes são sempre repassados à população.

No histórico de subidas, a gasolina já acumula alta de 28,73% em 12 meses, enquanto o diesel de 52,27%. Os dados são do IPCA, índice oficial da inflação calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).




Voltar ao topo

Deixe um comentário