scorecardresearch ghost pixel



Má notícia para o consumidor: conta de luz fica mais cara em julho

Reajuste médio de 12% na tarifa de energia elétrica foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).



Os preços da energia elétrica já estão nas alturas, mas a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um novo aumento nas contas de luz. O reajuste médio de 12% começou a valer no dia 4 de julho, em 24 municípios atendidos pela Enel Distribuição.

Leia mais: Lucro do FGTS sai em até 50 dias para os trabalhadores; veja como consultar o saldo

De acordo com o anúncio feito pelo órgão regulador, a alta foi de 18,03% para a rede de alta tensão, como indústrias e grandes comércios; e de 10,15% para baixa tensão, como os clientes residenciais.

A Aneel justifica que a inflação e o aumento nos encargos do setor levaram ao novo reajuste nas tarifas. Os gastos contraídos durante a durante a crise hídrica do ano passado também são apontados como culpados pelo acréscimo.

Se o governo e a empresa não tivessem entrado em acordo para conter o percentual da correção, a conta de luz dos brasileiros poderia ficar até 28% mais cara, segundo a agência.



Bandeiras mais caras

Outro reajuste aprovado pela Aneel atinge as bandeiras tarifárias de energia elétrica. No caso da bandeira de escassez hídrica, a mais cara, o aumento pode chegar a 63,7%.

Atualmente está em vigor a bandeira verde, que não prevê acréscimo na conta. Por esse motivo, as mudanças não devem ter tanto impacto para os consumidores em julho.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário