scorecardresearch ghost pixel



RECUPERA IPVA financia débitos atrasados e dá descontos de até 90%

Além do imposto, também são disponibilizadas reduções em dívidas de multas. Confira como participar da ação e ganhar os descontos.



O programa de refinanciamento de débitos vencidos no Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA), o Recupera IPVA, ainda está oferecendo aos motoristas a oportunidade de quitar os débitos atrasados. Além do imposto, também são disponibilizadas reduções em dívidas de multas. O prazo final vai até 31 de dezembro.

Leia mais: Fim do IPVA pode se tornar realidade em 2022? Entenda a proposta

Podem participar da ação o motorista do estado do Rio de Janeiro com débitos gerados até 30 de novembro 2020, contanto que não esteja inscrito em Dívida Ativa. As renegociações podem garantir até 90% de descontos em juros e multas, com prazo de parcelamento de até 24 meses.



Motoristas devem renunciar contestações

Os motoristas que aderirem ao parcelamento terão que renunciar os processos administrativos e judiciais em andamento que contestem o valor da dívida.

Outro ponto importante é que depois da adesão ao programa, o pagamento da primeira parcela deve ser feita na data programada. O intuito é confirmar o interesse em solucionar a pendência.

Se atrasar o pagamento de três parcelas depois da adesão ao Recupera IPVA, o contribuinte perderá as condições especiais oferecidas pelo programa, com seu nome indo parar em Dívida Ativa.



Como parcelar o IPVA?

O sistema de parcelamento de débitos dos IPVA funciona de forma totalmente eletrônica. Os cidadãos interessados em aproveitar os benefícios da ação devem acessar o portal da Secretaria estadual de Fazenda.

Feito isso, basta ir na opção “Atendimento Digital”, que irá direcionar os atendimentos correspondentes ao Recupera IPVA. A validação do acesso no sistema é feita via sistema Gov.br ou certificado digital.

No caso de contribuintes já inscritos em Dívida Ativa, o endereço de acesso para mais informações é o da Procuradoria Geral do Estado (PGE-RJ).




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário