scorecardresearch ghost pixel



O que é BDR? Saiba como funciona esse tipo de investimento, vantagens e desvantagens

Por meio do Brazilian Depositary Receipts, os brasileiros podem investir com facilidade e sem burocracia em grandes empresas estrangeiras, como Google, Apple, Disney, Coca-Cola, Uber, entre tantas outras.



Você está pensando em investir ou já entrou no mundo dos investimentos? Saiba que pode aumentar suas chances de ganhar dinheiro por meio do Brazilian Depositary Receipt (BDR), que te permite aplicar em grandes empresas listadas fora do país, sem tanta burocracia e taxas exigidas no exterior.

Por meio desse tipo de título, os brasileiros podem investir de forma simples em companhias negociadas em bolsas internacionais, sem ser necessário abrir conta em corretora estrangeira ou sofrer com a dificuldade de investimentos em outros países.

O sonho de aplicar dinheiro no Google, Apple, Disney, Warner Bros, Coca-Cola, Uber, entre tantas outras grandes companhias, fica bem mais próximo. Além disso, você também pode crescer sua carteira de investimentos mirando em empresas brasileiras que abriram capital no exterior.

O que é BDR?

Conhecido pela sigla BDR, o Brazilian Depositary Receipt é um certificado de depósito que representa ações de empresas listadas em bolsas de outros países, como na NASDAQ, dos Estados Unidos. Ele é emitido e negociado no Brasil, no pregão da B3, Bolsa de Valores brasileira.

Como funciona o BDR?

É importante destacar que quem investe em BDRs não compra ações diretamente, mas títulos que representam essas ações. Os títulos também são conhecidos como valores mobiliários. A emissão desses ativos funciona com o auxílio de duas instituições, fundamentais para todo o processo, são elas:

  • Instituições custodiantes: ficam no país de origem da empresa estrangeira. Elas são responsáveis pela compra e o bloqueio das ações da companhia do exterior na Bolsa de lá para servirem de lastro (garantia) aos BDRs no Brasil.
  • Instituições depositárias: estão localizadas no Brasil e devem fazer a emissão e cancelamento dos BDRs junto à B3. Elas garantem que não haja um desencontro entre os dados de saldo das ações no exterior com os BDRs emitidos aqui. Além disso, a instituição também precisa divulgar as informações corporativas e financeiras da empresa que tem as ações negociadas.

Quais são os tipos de BDR?

Os BDRs podem ser de dois tipos: os não patrocinados e os patrocinados. Essa classificação varia de acordo com a forma como esses títulos são trazidos ao Brasil para serem negociados. Entenda o que é cada um:

  • Não patrocinados

Neste caso, a companhia estrangeira não participa do processo, ou seja, apenas a instituição depositária faz a emissão dos ativos. A instituição depositária mantém uma conta em uma instituição custodiante do exterior onde ficam depositadas e bloqueadas as Ações usadas para garantia dos ativos. Ademais, no BDR não patrocinado, a instituição depositária é quem fica por conta de divulgar todas as informações importantes sobre a empresa estrangeira.

  •  Patrocinados

Já no tipo patrocinado, a companhia estrangeira demonstra interesse em abrir o capital no Brasil e, por esse motivo, participa de todo o processo que envolve desde a escolha da instituição depositária, até a emissão e negociação dos ativos que podem ser no Nível 1, Nível 2 ou Nível 3, dependendo do tipo de distribuição de cada um e da quantidade de informações sobre as empresas.

Quanto é o valor de um BDR?

Inicialmente, com a liberação das novas regras de negociação em setembro de 2020, a B3 quer trazer o valor médio desses títulos próximos a R$ 50.

Ao investir em BDR, me torno sócio da empresa?

Não. Você não se torna sócio da empresa ao investir em BDR, isso porque está investindo no valor mobiliário que representa aquela ação, não na ação da empresa estrangeira em si, o que quer dizer que você não se torna um dos donos da companhia.

Vale a pena investir em BDR?

Confira, a seguir, as vantagens e desvantagens desse tipo de título e decida se ele beneficia o seu perfil de investidor:

Vantagens 

  • Não é necessário abrir uma conta em uma corretora estrangeira e ler vários documentos em outro idioma;
  • Você fica livre de fazer a declaração do Imposto de Renda no exterior;
  • Além disso, não é necessário calcular câmbio, Imposto sobre Operações de Financeiras (IOF) e outras tarifas para a conversão, uma vez que a corretora no Brasil faz isso por você;
  • Permite uma carteira diversificada, por exemplo, um BDR de empresa com ações negociadas nos EUA, está atrelado ao dólar. Se o dólar aumentar e o real cair, o seu investimento também terá uma alta na rentabilidade.

Desvantagens 

Já as desvantagens em investir em BDR estão ligadas aos riscos da operação que pode fazer você perder dinheiro no investimento ao invés de ganhar:

  • Da mesma forma que Renda Variável no Brasil, os BDRs também podem ter mudanças de preços pela dinâmica e sofrer alteração constante do mercado;
  •  Se o valor do dólar cair e o real aumentar, o rendimento do ativo também cai com o dólar;
  • Atualmente, a liquidez dos BDRs está sendo menor, o que pode trazer um valor de compra e venda mais caros, pois esse tipo de investimento ainda é pouco feito no Brasil.

Veja também: Poupança para os filhos vale a pena? Saiba como funciona o rendimento




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Notícias relacionadas

Deixe um comentário