O que faz um escrevente?

Conheça o salário, atividades e requisitos que compõem a função de um escrevente; descubra se a profissão combina com você.

A profissão de escrevente garante inúmeras possibilidades de trabalho em diferentes setores do judiciário, com juízes e promotores ou prestando atendimento ao público e advogados. Também há o escrevente cartorário, que atua em repartições públicas ou privadas e detém fé pública e custódia sobre documentos.

O que faz um escrevente

  • Segundo o código de Processo Civil, artigo 141, integram as funções do escrevente:
  • Redigir ofícios, mandados, cartas e outros documentos;
  • Executar ordens judiciais;
  • Comparecer às audiências;
  • Ter sob sua guarda e responsabilidade os autos dos processos que acompanha.

Escrevente Cartorário

O escrevente que trabalha em cartório criminal ou civil tem sob sua responsabilidade a tutela de vários documentos. Ele desempenha atendimento ao público, rotinas cartoriais, é responsável por protocolos, escrituras públicas, autenticação de títulos, lavraturas, registros de compra e venda de imóveis, nascimento, casamento e óbito.

Além disso, é sua função executar determinações de juízes, via despacho de documentos. Também é responsável por expedir mandados de citação, intimação, averbação, levantamento judicial, mandado de prisão, alvarás e ofícios.

Escrevente Técnico Judiciário

O escrevente técnico judiciário é aquele que trabalha diretamente com juízes. A principal função é dar encaminhamento correto aos processos de acordo com os despachos e decisões dos magistrados. Também é responsável pelas transcrições de tudo aquilo que acontece em audiências.

A função envolve a digitação de dados e confecção de documentos, garantindo o cumprimento de todas as fases dos processos judiciais e administrativos. Atua, ainda, com atividades relacionadas à organização dos serviços de suporte técnico e administrativo às unidades do Tribunal de Justiça e atendimento ao público interno e externo.

Requisitos para ser um escrevente

Para atuar como escrevente cartorário, normalmente, é por meio de processos seletivos públicos ou privados. No caso de escrevente técnicos judiciários, além de processos seletivos, há possibilidades de concursos públicos na área.

Geralmente, os requisitos para as vagas são ensino médio completo ou graduação em Administração ou Direito. A profissão apresenta ótimas perspectivas para o futuro, garante bom plano de cargos e salários, progressão funcional e possibilidades de promoção.

Quanto ganha um escrevente?

O salário para o cargo de escrevente cartorário varia de R$ 1.371,00 a R$ 2.549,00. A média salarial para o Brasil é de R$ 1.804,00. No caso dos escreventes técnico judiciários, para uma jornada de 40h semanais, o valor pode variar de R$ 2.500,00 a R$ 5.000,00, incluindo benefícios, como auxílio saúde, auxílio alimentação e auxílio transporte.

Confira também: O que faz um Assistente Administrativo?

O que faz um escrevente?
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário