Concurso PRF tem banca organizadora definida! E agora?

Edital do concurso com 500 vagas para policial rodoviário federal tem publicação prevista para outubro, logo após a análise da Advocacia-Geral da União.

Polícia Rodoviária Federal (PRF) deu um passo importante rumo à realização de seu próximo concurso! A assessoria de comunicação da corporação admitiu, nesta quarta-feira (12), ter concluído o processo de escolha da banca organizadora! Com isso, o edital deve ser publicado até o mês de outubro.

O nome da empresa definida ainda não foi divulgado, porém o mesmo deve ser conhecido após o parecer da Advocacia-Geral da União (AGU), para onde o processo foi encaminhado. Ao que tudo indica, o regulamento tem previsão para ser publicado no período de 20 a 40 dias.

Apostilas preparatórias: Policial Rodoviário Federal e Agente Administrativo

O certame trará 500 vagas confirmadas para o cargo de policial rodoviário federal exigindo formação de nível superior em qualquer área. A remuneração inicial prevista é de R$ 10.357,88 considerando aumento estimado para janeiro de 2019.

Cargos e salários Concurso PRF

Concurso PRF 2018 ofertará 500 vagas para policial rodoviário federal, carreira que exige formação de nível superior com direito à remuneração inicial de R$ 10.357,88. Além da escolaridade, outros requisitos devem ser atendidos, como idade mínima de 18 anos, CNH categoria “B” e quitação dos serviços militares e eleitorais.

De acordo com a corporação, há possibilidade de que a lotação dos postos seja ou não expressa em edital. A comissão organizadora será a responsável pela disponibilização dessa informação. Com isso, pode ser que o edital seja regionalizado, isto é, distribuindo as vagas pelas diversas regiões do país.

No entanto,  a expectativa é de que as oportunidades sejam oferecidas em todo o Brasil. Um dos prováveis polos de lotação é o estado de Pernambuco que pode receber 14 das 500 vagas previstas no próximo regulamento. Aliás, a distribuição das vagas da seleção é assunto há muito discutido pela comissão organizadora.

Tanto membros da PRF quanto representantes sindicais analisam os critérios para divisão dos postos confirmados e, em reuniões, verificaram o teor da minuta da Lei Orgânica da PRF. O texto foi elaborado pela Administração da corporação.

É importante frisar que a instituição negociou o aumento das vagas do certame alegando que o número confirmado é insuficiente para suprir a carência de servidores. Como a demanda não foi atendida, a PRF tenta melhor distribuição desta oferta a fim de garantir que todos os estados brasileiros sejam atendidos.

Outro ponto decidido em reunião é que um Sistema Nacional de Remoção de Servidores (Sisnar) seja montado antes da lotação dos aprovados no concurso. Assim, o efetivo atual pode se movimentar para regiões de seu próprio interesse.

O que faz o policial rodoviário federal?

O policial rodoviário federal é responsável pelo patrulhamento ostensivo das rodovias federais; prevenção de acidentes; realização de atendimento a vítimas nas rodovias; policiamento, fiscalização e inspeção do trânsito, entre outras atribuições.

Como mencionado na seção anterior, a investidura no cargo demanda graduação em qualquer área, além de idade entre 18 e 65 anos, CNH na categoria B, bem como quitação das obrigações eleitorais e militares.

A remuneração inicial atual é de R$ 9.931,57, porém será reajustada para R$ 10.357,88 a partir de janeiro de 2019. O valor já inclui o auxílio-alimentação de R$ 458,00. É importante que o candidato saiba, também, que a carreira dá direito à progressão.

O policial rodoviário federal tem plano de cargos, com progressões anuais que podem ser horizontais ou verticais. As progressões horizontais acontecem na mesma classe, enquanto as verticais preveem a mudança de classe.

A primeira progressão vem em, no mínimo, três anos. A partir daí, o servidor passa pelas avaliações de desempenho, realizadas a cada 12 ou 18 meses, no caso das progressões horizontais. As verticais acontecem anualmente. No topo de carreira, o policial pode receber salário de R$ 16.297,56.

Provas Concurso PRF

Ainda que o edital atualizado do Concurso PRF não tenha sido liberado, espera-se que a estrutura avaliativa obedeça o aplicado em edições anteriores. O certame deverá avaliar os candidatos por meio de provas objetivas, discursivas, além de avaliação de títulos, capacidade física e médica.

Os aprovados serão matriculados no curso de formação, que tem duração de três meses, seguido de investigação social. A expectativa é de que a seleção receba alto número de inscritos considerando as estatísticas de certames anteriores.

O Concurso PRF 2013, por exemplo, contou com a participação de 109.769 candidatos, gerando a demanda de 109,77 candidatos por vaga. Ao todo, 1.500 candidatos aprovados foram convocados em três turmas (agosto de 2014, fevereiro de 2015 e fevereiro de 2016).

O que cai no Concurso PRF?

Os candidatos do Concurso PRF deverão passar por provas objetivas e discursivas, analisando as etapas teóricas do certame. Na parte de conhecimentos básicos, os candidatos responderam à questões sobre:

  • Língua Portuguesa
  • Matemática
  • Noções de Direito Constitucional
  • Ética no Serviço Público
  • Noções de Informática

Na parte de conhecimentos específicos, foram cobrados conteúdos de:

  • Noções de Direito (Administrativo, Penal, Processual Penal)
  • Legislação Especial
  • Direitos Humanos e Cidadania
  • Legislação Relativa ao DPRF
  • Física Aplicada à Perícia de Acidentes Rodoviários

Há possibilidades de que o regulamento atualizado traga mudanças relacionadas ao cargo de policial rodoviário. As alterações são devidas a um estudo sobre sua profissiografia, ou seja, seu perfil.

Nisso, estão incluídas possíveis modificações no conteúdo programático da prova pois, o servidor deixou de executar tarefas, estritamente, relacionadas ao trânsito, passando a executar combate ao crime.

Há, então, a possibilidade de cobrar mais disciplinas da área do Direito, dando peso a mais para temas como Direitos Humanos e Ética. Porém, o candidato não deve deixar de lado a parte de Legislação de Trânsito, por exemplo.

Outra parte na qual o concurseiro pode ficar atento é a Física aplicada ao trânsito. O servidor da PF lembra que a corporação tem se especializado na questão da perícia.

Dicas para o TAF

Uma das principais preocupações dos concurseiros, especialmente na área de Segurança, é quanto ao teste de aptidão física, o famigerado TAF. Porém, algumas dicas são muito válidas para tirar essa etapa de letra e garantir sua aprovação.

O ideal é não esperar que você passe na prova escrita para, só depois, se preparar para o TAF. Lembre-se de que o corpo precisa de tempo para se ajustar às novas demandas, por isso, a tentativa de obter resultados físicos apressadamente pode trazer consequências sérias, como lesões que vão comprometer o seu teste, além de mau súbito.

Concurseiro bem sabe o quanto o nervosismo tende a reduzir o seu desempenho na hora da prova. Para evitar problemas, prepare-se de forma a cumprir além do que será exigido no seu teste. Por exemplo, se forem cobradas 10 barras, acostume-se a fazer, pelo menos 15. Caso seu teste inclua uma corrida de 12 minutos, prepare-se para correr durante 20 minutos, de forma natural.

Conhecer o percurso vai te proporcionar maior segurança, além de evitar imprevistos. Desse modo, quando começar a sentir que tem bom condicionamento, comece a treinar no mesmo horário em que o exame de aptidão física será aplicado. Caso isso não for possível, tente fazer, pelo menos, um dia da semana (durante o fim de semana, por exemplo).

Confira mais dicas sobre como se sair bem no TAF aqui.

Voltar ao topo

Deixe um comentário