Uber estuda fornecer empréstimos e outros produtos financeiros para motoristas

A oferta do serviço é uma das soluções estudadas para aumentar a arrecadação da Uber. Outras medidas estão sendo tomadas para reduzir o prejuízo.

Após um prejuízo de US$ 5,2 bilhões no último trimestre, a Uber vêm buscando soluções para aumentar seu lucro. Uma das possíveis medidas em estudo está a oferta de serviços financeiros para seus usuários, como a realização de empréstimos. A Uber recrutou diversos funcionários especializados em fintechs e realizou uma pesquisa entre os motoristas nos Estados Unidos.

A pesquisa foi realizada por meio do aplicativo e contava com as seguintes questões: “Você contratou um pequeno empréstimo, abaixo de US$ 1 mil, nos últimos três anos?” e “Se a Uber fornecesse empréstimos, qual valor você solicitaria?”.

Segundo a Consumer News and Business Channel (CNBC), a Uber realizou uma série de contratações de profissionais em Nova York somente esse ano. Com isso, o intuito da empresa é criar uma equipe com mais de 100 colaboradores para desenvolver produtos financeiros.

Novas Experiências em Produtos Financeiros

Recentemente, a Uber disponibilizou uma vaga em seu LinkedIn para a contratação de um gerente de engenharia. Como responsabilidade do profissional em questão, está projetar e implementar novas experiências de produtos financeiros de ponta dentro dos aplicativos para passageiros, motoristas, restaurantes e Eats.

Com isso, a Uber possui a finalidade de criar novas experiências de pagamento para gerar uma maior fidelidade entre seus passageiros e também clientes do Eats. Além disso, possui o intuito de auxiliar os motoristas a gerenciar e gastar de modo efetivo o dinheiro que arrecadam.

Ademais, a Uber já oferta alguns produtos financeiros, dentre eles a carteira digital Uber Cash. Com ele, é possível adicionar quantias e ganhar até 5% de desconto nas viagens. O valor pode ser utilizado também para entregas no Uber Eats.

Veja também: Com 50 mil novos clientes por dia, Nubank alcança prejuízo de R$ 139 milhões.

Prejuízo da Uber no 2º Semestre de 2019

O prejuízo de 5,236 bilhões de dólares no segundo trimestre de 2019 ocorreu devido à remuneração em ações para os funcionários da empresa. A atitude aconteceu logo após sua estreia na bolsa de valores. Além disso, a empresa teve também outros prejuízos superiores a 1 bilhão de dólares.

O pagamento realizado em ações gerou um custo de 3,9 bilhões para a empresa. De acordo com a Uber, isso continuará sendo uma despesa recorrente significativa nos negócios. Entretanto, essa também é uma parte importante de sua estratégia de remuneração.

Além da busca de soluções por meio de oferecimento de serviços financeiros, a empresa também tomou outras medidas para tentar reduzir o prejuízo. Com isso, cerca de 400 pessoas foram demitidas do departamento de marketing e contará com uma frota de veículos autônomos, com uma versão personalizada do Volvo XC90.

Assim, não será preciso dividir o valor das corridas com os motoristas, de modo a aumentar o faturamento da empresa.

Voltar ao topo

Deixe um comentário