scorecardresearch ghost pixel

Auxílio emergencial 2021: Confira o calendário de janeiro e outras atualizações

Veja o calendário de liberação do auxílio emergencial em janeiro e descubra quais são as chances de uma prorrogação do benefício.

Os pagamentos do auxílio emergencial terminaram em 2020, mas o benefício continua sendo liberado para saques pouco a pouco. Até o dia 27 de janeiro, a Caixa Econômica Federal segue autorizando o acesso ao dinheiro em espécie.

Os aprovados nascidos em março e abril que ainda possuem valores em conta poderão sacar o benefício nos dias 4 e 5 de janeiro, respectivamente. Os pagamentos são referentes aos ciclos 5 e 6. Na próxima semana, serão liberados os auxílios dos aniversariantes de agosto, setembro e outubro.

Calendário de saques

  • 20 de janeiro de 2021 para os nascidos em setembro;
  • 22 de janeiro de 2021 para os nascidos em outubro;
  • 25 de janeiro de 2021 para os nascidos em novembro;
  • 27 de janeiro de 2021 para os nascidos em dezembro.

Auxílio emergencial será prorrogado?

Até o momento ainda não se sabe se o auxílio será prorrogado para 2021. Para que isso se tornasse possível, o governo federal teria que prorrogar o estado de calamidade pública, encerrado no dia 31 de dezembro, permitindo um gasto tão robusto quanto esse.

O estado de calamidade pública foi instaurado pela Medida Provisória 1.000, “Fica instituído, até 31 de dezembro de 2020, o auxílio emergencial residual a ser pago em até quatro parcelas mensais no valor de R$ 300 ao trabalhador beneficiário do auxílio emergencial”.

No entanto, o governo teme pela sustentabilidade fiscal do país, razão pela qual não quer infringir a regra do teto de gastos.

O auxílio emergencial foi criado em abril e previa inicialmente a distribuição de três parcela de R$ 600. No entanto, com o agravamento da pandemia de coronavírus, ele foi estendido duas vezes: a primeira para pagamento de mais duas parcelas de R$ 600 e a segunda para mais 4 parcelas de R$ 300.

O gasto para financiar o programa foi de cerca de R$ 250 bilhões, por isso, o governo afirma que não tem mais condições fiscais de estender o benefício para este ano.

O presidente Jair Bolsonaro vem reiterando que não pretende prorrogar o auxílio. Na última quinta-feira, 7, ele chegou a dizer que ninguém mais iria trabalhar caso ele liberasse R$ 5 mil por mês para os cidadãos.

“Qual país do mundo fez auxílio emergencial? Parecido foi nos Estados Unidos. Aqui alguns querem torná-lo definitivo. Foram quase 68 milhões de pessoas. No começo, foram R$ 600. Vamos pagar para todo mundo R$ 5 mil por mês, ninguém trabalha mais, fica em casa”, criticou Bolsonaro.

Leia mais: Deputado diz que Guedes pode propor a volta do auxílio emergencial


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário