scorecardresearch ghost pixel

Golpes com cartões de crédito correspondem a 26% das reclamações

Com o avanço da pandemia, muitas pessoas estão em casa e optando por fazer compras online.

A quarentena obrigatória, determinada pelas autoridades para impedir a disseminação do novo coronavírus, alterou os hábitos dos consumidores. Muitas pessoas estão optando pelas compras virtuais, com isso o número de golpes cresceu na internet. 

No Brasil, o roubo de cartões de crédito e cobranças dolosas correspondem a 26% das reclamações.

De acordo com pesquisa feita pela TransUnion, companhia internacional de soluções de informação e insights de dados, o roubo de identidade online, conhecido por phishing, é o principal esquema de cibercrime em todo o mundo.

Com o avanço das vendas pela internet, os cartões de crédito virtuais estão cada vez mais sendo usados. Eles diminuem o risco de clonagem em relação aos cartões físicos.

Dados da Fecomércio mostram que o país tem média de R$ 60 bilhões em prejuízos originados desse tipo de crime a cada ano.

Veja também: Os 15 melhores cartões de crédito brasileiros sem anuidade

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), o ano de 2020 registrou crescimento de 68% das vendas online, com um faturamento de R$ 126,3 bilhões. Foram mais de 300 milhões de compras realizadas pelos consumidores em todo o país. 

O aumento das compras virtuais aparece também num maior risco de endividamento da população. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de famílias endividadas no país chegou a 66,5% em janeiro deste ano. Assim sendo, 80,5% correspondem a dívidas com o cartão de crédito.

Leia também: Não quer parcelar toda a fatura Nubank? Aprenda como parcelar compras específicas no cartão


Voltar ao topo

Deixe um comentário