scorecardresearch ghost pixel



Com o avanço da Ômicron, governo pode antecipar 13º salário do INSS?

Nova variante do coronavírus preocupa os brasileiros e volta a gerar discussões sobre medidas emergenciais.



O aumento de casos de Covid-19 no Brasil após o surgimento da variante Ômicron têm preocupado bastante a população. Tendo em vista o agravamento da situação, os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) querem saber se há possibilidade de uma nova antecipação do seu 13º salário.

Leia mais: 14º salário do INSS está confirmado para março? Confira quem recebe

O adiantamento dos pagamentos foi uma das medidas adotadas pelo governo federal em 2020 e 2021. Mais de 36 milhões de aposentados e pensionistas receberam o abono natalino no primeiro semestre de cada ano. O objetivo foi ajudar essa parcela da população e estimular a economia.

No entanto, mesmo com a alta do número de infecções pela doença em 2022, a medida não deve ser repetida. Em nota, o Ministério do Trabalho e da Previdência afirmou que não existe nenhuma avaliação ou estudo neste sentido.



13º salário do INSS

Por lei, a primeira parcela do 13º salário dos segurados do INSS deve ser paga a partir de agosto, enquanto a segunda precisa sair a partir de em novembro. Sem previsão de adiantamento, os pagamentos continuam previstos para 25 de agosto a 8 de setembro (1ª parcela) e 24 de novembro a 7 de dezembro (2ª parcela).

O abono natalino é um direito dos segurados que recebem os seguintes benefícios:

  • Aposentadoria;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio-doença;
  • Auxílio-reclusão;
  • Pensão por morte.

Já o Benefício de Prestação Continuada (BPC) não garante 13º as idosos e pessoas com deficiência contemplados, uma vez que trata-se de um programa assistencial.




Voltar ao topo

Deixe um comentário