scorecardresearch ghost pixel



Bolsonaro aprova aplicativo que coloca privacidade do usuário em risco

App que exibe todas as publicações do presidente e de seus parentes políticos pede acesso a dados restritos dos usuários; entenda mais:



O presidente da República, Jair Bolsonaro, se envolveu em uma nova polêmica recentemente. Ele é acusado de sancionar um aplicativo que pode colocar a segurança da privacidade do usuário em risco. Isso acontece quando o app solicita diversas permissões para acessar o dispositivo de quem o instala e abre. As informações foram divulgadas pelo portal The Intercept Brasil.

Veja também: Descubra quanto vai custar o plano 5G mais barato do Brasil

De acordo com as informações, o app se chama Bolsonaro TV e já encontra-se disponível para download na AppStore e Play Store. A utilidade do software está em acompanhar as redes sociais de todos os integrantes da família Bolsonaro na política. Assim, o usuário consegue ter em apenas um local, acesso às publicações, fotos e textos dos “Bolsonaros”.



Aplicativo solicita permissões para acessar dados privados do usuário

A ferramenta digital estabelece um contrato de aceitação de termos de privacidade com Rogerio Cupti. Ele é o assessor do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair. O desenvolvimento do aplicativo está no nome de BolsoMidiaNaro.

De modo resumido, o funcionamento do programa busca unificar o acesso a todas as redes sociais da família. Ele inclui as publicações e conteúdos presentes no Twitter, Instagram, Facebook, Youtube e Telegram. Assim, quem usa o app pode compartilhar facilmente o material em suas próprias redes ou pelo whatsApp.



Solicitações de acesso são excessivas e ferem a LGPD

Segundo a análise publicada sobre o Bolsonaro TV, as solicitações de acesso são exageradas. O app é apenas um feed de notícias sobre os integrantes da família do presidente. Porém, ainda assim, ele pede acesso a diversas informações pessoais sem que haja real necessidade. Por exemplo, o aplicativo solicita acessar a localização por meio de GPS do usuário.

O programa também solicita acessar dados sobre navegação na internet e também pode impedir a suspensão do dispositivo, além de controlar a vibração. Como se não bastasse, o app pede para ter acesso a excluir todos os arquivos de armazenamento USB do aparelho.

Segundo o The Intercept Brasil, as solicitações chegam até a ferir a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Nos termos consta a possibilidade de alteração do aplicativo sem qualquer aviso prévio. Ele ainda diz que não responsabilizará “Bolsonaro TV nem seus diretores, executivos, funcionários, afiliados, agentes, contratados ou licenciadores” por qualquer alteração.




Voltar ao topo

Deixe um comentário