scorecardresearch ghost pixel



Auxílio Emergencial: é possível recuperar o saldo que não foi sacado?

Regras do programa estipulam prazo limite para resgate das parcelas depositadas pelo governo. Veja mais detalhes.



A última parcela do Auxílio Emergencial foi depositada em outubro do ano passado para milhões de brasileiros afetados pela pandemia. Apesar disso, alguns beneficiários se esqueceram ou deixaram de sacar uma ou mais cotas do benefício.

Leia mais: Auxílio-gasolina de até R$ 300 é rejeitado pelo Senado

De acordo com as regras do programa, o prazo limite para retirada do dinheiro é de até 120 dias, contados a partir da data de liberação. Isso significa que a possibilidade de sacar essa grana já não existe para a maior parte dos brasileiros.

Contudo, há um grupo que ainda pode ter acesso ao benefício. Ele é formado por pais chefes de famílias monoparentais que criam filhos menores e idade sem a ajuda de cônjuge ou companheira.



Auxílio emergencial retroativo

O Ministério da Cidadania confirmou o repasse de um novo lote do Auxílio Emergencial retroativo para milhares de pessoas que fizeram parte do programa em 2020. Cada beneficiário que está na lista pode receber entre R$ 600 e R$ 3 mil, de acordo com o mês do seu ingresso.

Entre abril e agosto de 2020, as mães solo receberam as cinco primeiras parcelas do benefício em dobro, totalizando R$ 1.200 por mês. Contudo, os pais que estão na mesma situação não puderam ganhar o valor dobrado.

O Congresso Nacional decidiu derrubar o veto presidencial que impedia os pagamentos em dobro e reparar essa injustiça. Desta maneira, milhares de pais já recuperaram a diferença, e outros milhões vão receber em junho. Para esses homens, é possível que o valor ainda esteja disponível na conta digital do aplicativo Caixa Tem.

Consulta ao benefício

Não é preciso solicitar o dinheiro porque o governo fará o depósito automático com base nas informações existentes em suas bases de dados, como o CadÚnico. Para verificar valores, data de crédito e outras informações, o beneficiário deve acessar o portal da Dataprev e fazer uma consulta.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário