scorecardresearch ghost pixel

Programa iPhone Para Sempre do Itaú vale a pena? Veja como funciona

Em parceria com a Apple, o banco passou a oferecer uma forma de financiar um novo iPhone em todo o país. 70% do valor do produto pode ser parcelado.

O banco Itaú, em parceria com a Apple, criou um programa que oferece uma nova forma de financiar um iPhone novo no Brasil, o iPhone Para Sempre. A novidade permite que o cliente parcele 70% do valor do produto em  21 vezes fixas. Os 30% restantes são pagos apenas no final, junto com a última parcela.

Desta forma, o consumidor tem a possibilidade de pagar uma parcela menor, uma vez que o valor será dividido em mais vezes. No entanto, o novo celular só pode ser comprado diretamente com a Apple, pelo preço cheio. Além disso, o pagamento é exclusivamente no cartão, realizado por um dos aplicativos do Itaú. Confira se vale a pena!

Como funciona o iPhone Para Sempre?

No site da Apple Store, um iPhone 11 Pro de 64GB, por exemplo, está R$ 6.999. Pelo site, o cliente pode parcelar em até 12 vezes. Ou seja, o custo mensal seria de de 583,25.

Já se o interessado fosse fazer a compra por meio do programa iPhone Para Sempre, ele pagaria 21 parcelas de R$ 233,30, totalizando R$ 4.899,30. Sendo que os R$ 2.099,70 do saldo devedor deveria ser pago juntamente com a última parcela.

Cada CPF pode comprar apenas um celular pelo programa em um período de 21 meses. Além disso, o limite disponível no cartão tem que ser igual ou maior do que o valor total do aparelho. O financiamento só é válido para modelos disponíveis na Apple Store.

Vantagens do programa

O diferencial é que o iPhone Para Sempre oferece três opões para o consumidor ao completar as 21 parcelas. Ficar com o iPhone, basta o cliente pagar os 30% restantes em uma cobrança única no cartão de crédito.

Trocar por um iPhone mais novo. Neste caso, não é necessário pagar os 30% restantes, é só iniciar um outro financiamento nos mesmos moldes. Assim, o cliente recebe um novo e devolve o atual, que precisa estar em perfeito estado. Ou seja, sem amassados, trincas, riscos, quebras ou sinais de oxidação e umidade.

Já a última opção é fazer a devolução do celular. O consumidor devolve o iPhone e não precisa pagar os 30% finais. Para isso, ele também precisa estar em perfeito estado.

Desvantagens do programa

Apesar do valor mais baixo das parcelas ser um atrativo, o cliente deve estar atento ao que de fato está comprando. Esse tipo de financiamento oferece algumas desvantagens. Embora o banco afirme que o parcelamento é em 21 vezes sem juros, se o pagamento fosse à vista, teria 10% “de desconto”, referente aos juros que não são cobrados.

Além disso, no varejo, muitas vezes, é possível comprar o iPhone por um preço mais barato que na Apple. A diferença é que a prestação mensal é maior, porque é em apenas 12x.

Mesmo assim, é importante estar atento. Quem opta por comprar pelo programa deve estar ciente que a última parcela é bem mais alta. No caso do exemplo acima, o iPhone 11 Pro de 64GB, a última parcela seria de R$ 2279,70.

Outro ponto negativo é que se o celular amassar, arranhar, trincar a tela ou deixar o aparelho oxidar, o consumidor  será obrigado a ficar com o aparelho e pagar os 30% finais. Já que nesses casos não é permitida a troca ou devolução.

Por fim, mais uma desvantagem é que o parcelamento é fixo em 21x, e o Itaú não oferece a possibilidade de adiantar essas parcelas. Desta forma, o consumidor não pode trocar o celular antes desse prazo. Ou seja, caso queira comprar um novo iPhone antes do 21º mês, terá que ser por fora do programa.

 iPhone Para Sempre vale a pena?

Cabe ao cliente analisar as vantagens e desvantagens do programa, de acordo com seu perfil de consumo e situação financeira, para decidir se essa forma de financiamento vale ou não a pena. A dica é analisar os pontos acima antes de fazer a escolha.

Leia também: Precisando de mais limite? Conheça estes 3 cartões de crédito!


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário