scorecardresearch ghost pixel

Limite para transferências via Pix aumenta a partir de março; Saiba mais

A partir deste mês, usuários do Pix poderão transferir valores mais altos utilizando o sistema de pagamentos do Banco Central. Entenda como vai funcionar.

O Banco Central anunciou que vai aumentar os limites máximos permitidos para transferências via Pix a partir deste mês. Agora, os usuários poderão transferir valores equivalentes aos do limite do cartão de débito e aos liberados para Transferência Eletrônica Direta (TED).

Antes da decisão, os critérios estabelecidos para transações via Pix definiam que o limite de transferência para contas de mesma titularidade ou de terceiros correspondia a 50% do teto autorizado para uma TED. Vale destacar que a regra pode variar de acordo com a instituição.

Para compras, o teto adotado passou a ser igual ao limite máximo do cartão de débito. Até o último dia 28, o valor mais alto que o usuário podia enviar via Pix estava condicionado ao percentual do limite diário e mensal para TED ou para a compra no cartão de débito.

As instituições financeiras ainda terão autonomia para definir a movimentação máxima via Pix de acordo com o horário, dia da semana, canal utilizado e titularidade da conta. O objetivo é garantir mais segurança aos seus clientes.

Ainda segundo o Banco Central, embora tenha sido definida a compatibilidade do limite com os valores fixados para TED e compra no débito, os bancos vão continuar decidindo seus limites máximos.

A partir de abril, será possível personalizar os limites do Pix pelo aplicativo do banco, o que não é permitido no momento. A mudança nos limites poderá ser solicitada a qualquer hora, sendo obrigatória a aceitação imediata por parte da instituição no caso de redução de limite. Já se o cliente quiser aumentar o limite, o banco poderá negar.

Leia mais: Alerta de golpe: Criminosos usam nomes da Caixa e Nubank em falso Pix


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário