scorecardresearch ghost pixel



Trabalho remoto: veja o que diz a lei e quais os direitos dos trabalhadores

O trabalho remoto tem regras que precisam ser seguidas. E os profissionais também precisam conhecer os seus direitos para assegurar o completo atendimento.



O trabalho remoto se tornou mais comum com a pandemia da COVID-19. Desde então, muitas empresas e funcionários viram as vantagens dessa modalidade de serviço. Há quem procure apenas as vagas de emprego home office nos dias de hoje. Independentemente da preferência, é bom conhecer a lei e quais são os seus direitos.

Leia mais: XP abre mais de 100 vagas para estágio remoto

Com o crescimento do trabalho remoto, uma medida provisória foi criada para regulamentar essa modalidade de emprego. Ao contrário do que muita gente pensa, são várias as regras e obrigações que devem ser seguidas. Elas valem tanto para as empresas quanto para os trabalhadores.



Trabalho remoto: o que diz a lei?

A medida provisória é a de número 1.108/22 e tem força de lei assim que é publicada no Diário Oficial da União. Por meio dela, empresas e funcionários têm mais informações sobre as regras e do que é preciso para nortear a modalidade de trabalho remoto. Essa é uma forma de adequar a legislação às necessidades desse tipo de emprego.

Pela MP, o trabalho híbrido – parte em casa e a outra parte na empresa – continua mantendo a relação de trabalho conforme a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Ainda de acordo com as regras, o trabalho remoto pode ser contratado de duas formas: por jornada ou também por produção.

A MP também destaca que a prestação de serviços na modalidade de teletrabalho ou trabalho remoto deverá constar expressamente do contrato individual de trabalho.

Nos contratos de trabalho por produção, não será aplicado o capítulo da CLT que trata da duração do trabalho e que prevê o controle de jornada. Em muitas situações, conforme a MP, o trabalhador tem a liberdade de exercer as tarefas quando desejar.



Já nos contratos por jornada, o empregador deve controlar a jornada, principalmente para o pagamento de horas extras, por exemplo. Em relação aos salários, a MP define que não pode haver redução.

Em relação às proteções garantidas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), todas elas são mantidas também no trabalho remoto.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário