scorecardresearch ghost pixel

Nubank começa a testar nova ferramenta que permite maior retorno aos clientes

Nova função de resgate planejado começa a ser testada por alguns clientes do Nubank, em um primeiro momento. Após isso, toda base será contemplada.

O Nubank iniciou na última segunda-feira, 10, os testes de um novo recurso chamado Resgate Planejado. A opção vai permitir que o usuário escolha uma data associada à taxa de rendimento para fazer o resgate do dinheiro.

“O Resgate Planejado é uma solução simples, segura e totalmente adaptável à realidade e planejamento financeiro de cada cliente. É mais um exemplo do compromisso do Nubank de descomplicar a vida das pessoas para que elas tenham total controle sobre suas vidas financeiras e consigam realizar seus planos”, destaca do CEO e fundador do Nubank, David Vélez.

O mecanismo é mais uma novidade do banco para aprimorar a experiência dos usuários, após ter lançado a modalidade débito para os seus clientes.

David Vélez complementa dizendo que “a ideia é que, quanto mais tempo seu dinheiro ficar guardado, maiores serão os ganhos”.

Como vai funcionar a nova ferramenta do Nubank?

A princípio, o resgate planejado vai estar disponível apenas para alguns usuários, mas depois irá abranger toda a base de clientes.

O recurso pode ser localizado na função Guardar Dinheiro, lançada em 2019. Em regras gerais, não existem valores mínimos para depósitos e as transações podem ser efetuadas 24 horas por dia, durante todos os dias da semana.

O rendimento é de 100% do CDI, com liquidez imediata e cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), no limite de até R$ 250 mil por CPF.

Na fase de testes, o rendimento pode chegar a 118% do CDI no prazo de dois anos, com taxas que podem diversificar conforme as condições de mercado. O usuário terá a opção de escolher o resgate do seu dinheiro em diferentes prazos, a serem contabilizados a partir do dia de depósito.

Veja ainda: Empréstimo Nubank: Solicitação on-line e primeira parcela em até 90 dias


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário