Geografia da Bahia para Concursos

Confira quais são as principais características do estado mais antigo do Brasil. Saiba tudo sobre o relevo, território, economia e população da Bahia.

Estudar para concursos e processos seletivos de órgãos públicos não é fácil. Esta é uma tarefa que exige muito tempo e muita dedicação. Neste sentido, uma das coisas que mais preocupam os concurseiros é conteúdo programático do edital.

A cada um deles, é selecionado um conteúdo voltado para a área de atuação das vagas que estão ofertando. Porém, em todos eles, matérias comuns, como Língua Portuguesa e Matemática estão sempre presentes.

Além disso, nos certames dos estados e municípios, como no caso da Bahia, por exemplo, a geografia estadual é um conteúdo que está sempre em pauta, e que a princípio, pode assustar o concurseiro pela ampla quantidade de assuntos.

Para quem está em busca destes conteúdos, reunimos a matéria de geografia da Bahia para concursos em um só lugar.

Formação do território

A história da formação do território baiano permeia a história do Brasil. Isso porque em 22 de abril de 1500, quando os exploradores portugueses chegaram ao país, liderados por Pedro Álvares Cabral, o primeiro local onde eles aportaram foi onde hoje está a cidade de Porto Seguro.

Entretanto, a povoação da região só começou alguns anos depois, em 1534, juntamente com outras partes do litoral brasileiro. Salvador, que foi a primeira capital do Brasil, foi fundada em 1549, pelo governador-geral, Tomé de Souza.

Ainda que durante um longo período a título tenha sido dividido com o Rio de Janeiro, quando o Brasil foi dividido em dois estados pela Coroa, a cidade permaneceu com o título até 1763, quando o Rio de Janeiro passou a ser a única capital.

A povoação do estado só se intensificou a partir de 1549, quando o território foi dividido em cinco capitanias hereditárias: Bahia de Todos os Santos, Porto Seguro, Ilhéus, Itaparica e Recôncavo. Cada uma delas foi doada a um donatário, e estes ficaram encarregados do desenvolvimento, povoamento e proteção de seu respectivo território.

A maioria dos ataques de países estrangeiros feitos ao Brasil foram no estado da Bahia. Entre eles, o ataque feito pelos piratas ingleses e franceses em 1587 e 1612, respectivamente.

Um dos maiores ataques foi o dos holandeses, que tentaram pela primeira vez em 1599, sem obter sucesso. Porém, em 1624 os mais de 3600 invasores conseguiram passar pela defesa e tomaram a cidade de Salvador. Eles ficaram instalados na cidade até 1625, quando tropas enviadas por portugal conseguiram reassumir o domínio do território.

Ao longo da história do Brasil o estado foi palco de diversos conflitos, a exemplo da Guerra de Canudos e da Conjuração Baiana.

Principais características do estado da Bahia

A Bahia (BA) é um estado que pertence a região nordeste do Brasil. Com uma área de 564.733.080 km², é considerado o quinto maior em extensão territorial. O getílico é o baiano.

Ao norte, o estado faz divisa com Alagoas, Piauí, Sergipe e Pernambuco. A oeste a divisa é com os estados de Goiás e Tocantins. Minas Gerais e Espírito Santo estão ao Sul e o Oceano Atlântico a leste.

O estado é dividido em 417 municípios e estes, por sua vez, dividido em sete mesorregiões e 32 microrregiões.

Bandeira da Bahia

Bandeira da Bahia

A proposta da atual bandeira da Bahia foi feita em 1889, contudo, a adoção oficial só foi feita em 1960. Suas cores, vermelho, branco e azul, conforme a disposição acima, são fortemente inspiradas na bandeira dos Estados Unidos.

No canto superior esquerdo há um triângulo que remete a um símbolo maçônico, já usado anteriormente nas conjurações mineira e baiana.

População

Com uma população estimada de 15.344.447 habitantes, a Bahia é o estado mais populoso da região nordeste, e o quarto de todo o Brasil. A densidade demográfica é de 27,17 habitantes por km², ocupando a décima quinta posição do ranking brasileiro. A maioria da população é constituída por mulheres.

Mais de 72% dos habitantes estão concentrados em áreas urbanas, ou seja, são mais de 10 milhões de baianos vivendo nas cidades.

A expectativa de vida média é de 73,2 anos, enquanto o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2010 era de 0,660, o que é considerado médio, mas coloca o estado na vigésima segunda posição em relação aos demais estados brasileiros.

Salvador e principais cidades

A capital da Bahia é a cidade de Salvador, que foi fundada em 1549, e por muito tempo foi a capital do Brasil. A cidade conta com uma população de 2,6 milhões de habitantes, número que corresponde a 19% da população baiana.

A cidade é considerada uma metrópole regional para quase todo o estado, e também para estados vizinhos, como Sergipe. Ou seja, ela influencia quase toda essa região em diversos aspectos, principalmente no econômico.

Além da capital abaixo, estão algumas das cidades mais importantes da Bahia. Todas elas na região metropolitana de Salvador ou do Recôncavo Baiano.

  • Feira de Santana
  • Itabuna
  • Ilhéus
  • Vitória da Conquista
  • Jequié
  • Bom Jesus da Lapa
  • Camaçari

Economia

A Bahia tem uma economia bastante diversificada. Há forte atuação tanto nas indústrias, quanto na agropecuária, turismo, mineração e serviços.

No que diz respeito a agropecuária, a Bahia se destaca na produção de cacau, algodão, sisal, feijão, mamona, mandioca, coco, milho e cana-de-açúcar. Além disso, tem um dos maiores rebanhos de caprinos do Brasil, estabelecendo-se como o um dos maiores estados pecuaristas.

A Bahia também apresenta importantes atividades extrativistas, principalmente mineral. Entre aqueles que se destacam, podemos citar ouro, cobre, sal-gema, barita, magnesita, chumbo, talco e manganês.

Na indústria, também muito presente no território, sobressaem a agroindústria, setor petroquímico, químico, automobilístico e informática.

Além de todas essas, o turismo exerce uma grande importância na economia baiana. Todos os anos milhares de brasileiros e estrangeiros visitam as praias e cidades históricas. Estima-se que somente essa atividade seja responsável pela geração de mais de 85 mil empregos diretos.

Apesar das praias altamente visitadas, Salvador é responsável por receber a maioria dos turistas, tanto por conta do carnaval, que é um dos mais famosos do Brasil, quanto pelo acerto arquitetônico, museus e entidades culturais.

Na cidade, entre os locais mais visitados pelos turistas estão:

  • Igreja do Nosso Senhor do Bonfim
  • Elevador Lacerda
  • Farol da Barra
  • Pelourinho
  • Fundação Casa de Jorge Amado
  • Mercado Modelo

A Chapada Diamantina é outro, entre os locais mais procurados. Repleta de cavernas e grutas, é um excelente local para quem procura por ecoturismo.

Relevo

Em relação a morfologia do relevo baiano, destacam se o planalto, rebordo do planalto e a baixada litorânea. Estima-se que aproximadamente 70% do território possui altitudes entre 300 e 900m, e os outros 23% esteja abaixo dos 300m.

A maior parte do estado é formada pelos planaltos. Estes, por sua vez, possuem cinco divisões: depressão são-franciscana, pediplano, planalto sul-baiano, espinhaço e planalto ocidental. Essas variações do planalto, conferem ao relevo baiano uma ampla diversidade, principalmente no que diz respeito às altitudes e composição do solo.

Já o rebordo do planalto formam uma faixa onde os terrenos são bem acidentados, ascendentes da baixada ao planalto,  justamente por se erguerem a oeste dos morros e colinas da baixada litorânea.

A faixa litorânea compreende o conjunto de locais em que a altitude não ultrapassa os 200m. Nas praias e terrenos de areia da fímbria litorânea, erguem-se os terrenos de feição tabular, ou tabuleiros areníticos. Adentrando ao interior do estado, principalmente no Recôncavo Baiano, este tipo de terreno dá lugar a uma faixa de morros e colinas. Ambos são cortados transversalmente pelos rios advindos dos planaltos.

Clima

Em função da extensão do território, é possível encontrar três tipos de climas distintos na Bahia. O primeiro deles é o quente e úmido, porém, sem estação seca, o segundo, também quente e úmido, mas com presença de inverno seco, e por fim, o semi-árido quente.

O primeiro tem incidência maior no litoral do estado, onde as temperaturas médias ficam nos 23ºC e os índices pluviométricos ultrapassam os 1.500mm. O segundo engloba todo o interior, a exceção do vale do São Francisco e a parte setentrional. A temperatura pode variar entre 18ºC e 22ºC, e os índices pluviométricos ficam na casa dos 1.000mm.

Já o clima semi-árido está presente principalmente no Vale do São Francisco e no norte do estado. As temperaturas médias podem ultrapassar os 26ºC, enquanto os índices pluviométricos ficam por volta de apenas 700mm.

Vegetação

Na Bahia, o bioma presente com maior intensidade é a caatinga. Cerca de 64% do território possui essa característica vegetativa. Em seguida, vem as florestas, com 18% e o cerrado, com 16%. Em menor quantidade, estão os campos, com apenas 2%.

Apesar de já bastante modificados pela ação humana, as florestas estão presentes na maior parte do litoral, com faixas que podem variar entre 100 e 250 km. Elas podem variar, ainda, conforme a localidade. No lado oriental a presença é preponderante das matas perenes, enquanto no lado ocidental são as decíduas agrestes que se destacam. No centro, as florestas semidecíduas predominam.

O cerrado pode ser encontrado em maior quantidade no território que compreende o planalto ocidental, com algumas manchas menos representativas nas áreas de caatinga. Neste local, apareceram também os campos, porém, eles pouco de destacam, formando uma diminuta mancha encontrada no sentido norte-sul.

Todo o restante do território baiano é formado pela caatinga, principalmente na parte interior. Aqui, é importante destacar que este é um bioma tipicamente brasileiro e ocupa aproximadamente 10% de todo o país. Apesar de características muito próprias, a vegetação não é uniforme em todo o território, apresentando variações de acordo com a pluviosidade e tipo de solo.

Um dos aspectos a ser levado em consideração, é forma como as plantas da caatinga estão adaptadas para os solos áridos, típicos do interior da Bahia. Entre as plantas mais presentes, podemos citar:

  • Aroeira
  • Cacto
  • Caroá
  • Juazeiro
  • Mandacaru
  • Palma
  • Umbuzeiro
  • Xiquexique

Hidrografia

O território baiano é cortado por um dos rios mais importantes do país, o São Francisco. Ele nasce em Minas Gerais, passa pelo estado, e vai até a divisa de Sergipe e Alagoas.

Os afluentes da margem esquerda desse rio também formam uma importante rede hidrográfica do estado. Os rios Carinhanha, Correntes, Grande e Preto nascem no planalto ocidental baiano. Há, ainda, aqueles que correm diretamente para o Atlântico, onde se destacam o Jequitinhonha, Paraguaçu, Itapicuru, Vaza Barris, Mucuri, Pardo e Contas.

Na região semi-árida é alta a incidência dos rios intermitentes, inclusos nos dois grupos citados acima.

Fauna

A Bahia tem uma fauna muito diversificada, incluindo muitas aves e mamíferos. Entre as principais espécies, listamos algumas:

  • Onça parda
  • Preguiça-coleira
  • Ararinha-azul
  • Pomba-avoante
  • Sagui
  • Macuco
  • Gavião real
  • Mutum do sudeste
  • Anta
  • Onça pintada
  • Sussuarana

Além destas, na Bahia há um projeto muito importante de preservação de tartarugas. O Projeto Tamar, na Praia do Forte, atua com muito empenho na preservação de espécies ameaçadas de extinção.

Comidas típicas da Bahia

A culinária baiana, apesar de ter algumas influência portuguesa e indígena, tem raízes muito fortes na cultura africana. Peixes e frutos do mar, milho, coco e mandioca estão entre os ingredientes mais marcantes.

Sem dúvidas, o acarajé figura como um dos protagonistas quando este é o assunto. Mas além dele, outros pratos famosos são a moqueca de peixe com pirão, acaçá, camarão à baiana, rabada, bobó de camarão, xinxim de galinha, arroz de coco, tapioca, caruru de peixe e vatapá.

Principais problemas da Bahia

Os problemas atuais da Bahia são bastante semelhantes aos dos demais estados brasileiros. Entre aqueles que mais preocupam, estão a violência urbana, principalmente no que toca ao crescimento de homicídios.

Em relação aos indicadores socioeconômicos, de acordos com dado do IBGE, em 2017 o estado ocupava o décimo nono lugar no ranking da alfabetização, entre todos os estados brasileiros.

Além disso, outro ponto preocupante é que a Bahia ocupa o sétimo lugar em mortalidade infantil. Depois de 26 anos, o estado voltou a registrar aumento neste sentido. Em 2016, a cada mil crianças nascidas vivas, 18 não completaram o primeiro ano de vida.

Geografia da Bahia para Concursos
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário