Artigos

Geografia do Mato Grosso do Sul para Concursos

Informações sobre relevo, clima, tipos de vegetação, principais rios e cidades, população estimada, área territorial e problemas ambientais cobrados em concursos públicos.

Conteúdos referentes à Geografia e História dos estados são, frequentemente, cobrados em concursos regionais. Nota-se que, mesmo candidatos nativos da região podem não conhecer todas as informações pelo grande volume de matéria estudada.

Para facilitar o estudo, é interessante reunir os principais assuntos cobrados nas seleções, incluindo concursos e processos seletivos.Por isso, trouxemos um resumo sobre os aspectos geográficos mais importantes sobre a Geografia do Mato Grosso do Sul para concursos públicos.

Contexto histórico de formação

A região que, hoje, corresponde ao Mato Grosso do Sul foi desmembrada do estado vizinho, o Mato Grosso. O desejo pela separação começou no início do século XX a partir da revolta promovida pelo coronel João da Silva Barbosa. A porção norte ofereceu resistência pois, o sul era a parte mais desenvolvida do estado e havia o medo de perdas econômicas.

Mesmo perante a derrota dos primeiros separatistas, a adesão do sul ao movimento intensificou-se com a Revolução Constitucionalista de 1932. O desmembramento, enfim, foi efetivado no dia 11 de outubro de 1977 após a assinatura do decreto pelo presidente Ernesto Geisel. A justificativa foi a difícil administração de uma grande porção territorial.

Na época, o primeiro governador empossado foi Harry Amorim Costa acompanhado da Assembleia Constituinte. Mas, as primeiras eleições só aconteceram em 1982.

Sobre o Mato Grosso do Sul

O Mato Grosso do Sul está localizado na região Centro-Oeste e possui área territorial de 358.158 km². Com isso, ocupa a sexta posição entre os maiores estados do país. Geograficamente, faz divisa com os estados de São Paulo (Sudeste), Paraná (Sul), Goiás e Mato Grosso (Norte), Minas Gerais (Leste) e, também, com a Bolívia (Noroeste) e Paraguai (Oeste).

O território do estado é cortado pelo Trópico de Capricórnio ao sul e, em relação ao fuso horário, está uma hora atrasado em relação ao horário de Brasília. Os 79 municípios e 165 distritos, incluindo a capital, Campo Grande, estão distribuídos entre quatro mesorregiões e 11 microrregiões. Tais divisões estão, abaixo, descritas:

  • Mesorregião do Centro-Norte: Microrregiões do Alto Taquari e Campo Grande
  • Mesorregião do Leste: Microrregiões de Cassilândia, Nova Andradina, Paranaíba e Três Lagoas
  • Mesorregião do Sudoeste: Microrregiões de Bodoquena, Dourados e Iguatemi
  • Mesorregião dos Pantanais: Microrregiões de Aquidauana e Baixo Pantanal

Sobre a capital do estado

Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, foi fundada em 1899 e tem população estimada em 874.210, de acordo com dados do IBGE em 2017. Os municípios limítrofes são:

  • Norte: Rochedo e Jaraguari
  • Sul: Nova Alvorada do Sul e Sidrolândia
  • Leste: Ribas do Rio Pardo
  • Oeste: Terenos

A área urbana total é de 154,454km² com densidade demográfica de 108,02 hab/km². O clima típico da cidade é o tropical com estação seca. Campo Grande está situada a 592 m de altitude.

A bandeira do estado

Mato Grosso do Sul

A bandeira do Mato Grosso do Sul foi projetada por Mauro Michael Munhoz e instituída pelo Decreto Estadual n. 1 de 01 de janeiro de 1979. A flâmula é formada por um retângulo nas cores azul, branco e verde portando uma estrela dourada em seu canto inferior direito.

O verde representa a riqueza das matas e dos campos enquanto o azul simboliza o céu e a esperança do povo. O amarelo representa a riqueza adquirida através do trabalho. O branco, por sua vez, simboliza a paz e a amizade.

População

A população sul mato grossense está estimada em  2.713.147 habitantes, tornando-o estado como o 21º mais populoso do país. Entre os anos de 1940 e 2008, o crescimento demográfico foi maior que a média nacional calculada no mesmo período. As taxas devem-se, não só pela natalidade mas, a chegada de migrantes de outros  estados e países.

Dados revelados pelo IBGE em 2005 apontam que, na época, cerca de 30,2% dos residentes não eram naturais do Mato Grosso do Sul. Tal característica migratória vem desde os tempos de sua formação quando, nos primórdios de seu povoamento, chegaram levas de imigrantes oriundos de diversos países.

Quanto à composição étnica, há grande número de descendentes de ameríndios e imigrantes paraguaios, o que contribui para a alta porcentagem da população parda. Além do Paraguai, consta a chegada de imigrantes vindo da Alemanha, Espanha, Itália, Japão, Paraguai, Portugal, Síria e Líbano, além de estados brasileiros, como Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.

O estado, também, ocupa o segundo lugar em número de etnias indígenas, entre elas, Guarani, Atikum, Guató, Kamba, Kadiwéu, Terena, Ofaié, Kinikinawa e Xiquitano. A população indígena do estado totaliza 53.900 pessoas, conforme dados apresentados pelo IBGE em 2005.

Principais cidades

As principais cidades do Mato Grosso do Sul, em número de habitantes, são:

  • Campo Grande: 755.107 habitantes
  • Dourados: 189.762 habitantes
  • Corumbá: 99.467 habitantes
  • Três Lagoas: 89.493 habitantes
  • Ponta Porã: 75.941 habitantes
  • Aquidauana: 46.515 habitantes
  • Nova Andradina: 45.916 habitantes
  • Naviraí: 45.627 habitantes
  • Sidrolândia: 41.261 habitantes
  • Paranaíba: 40.259 habitantes
  • Amambaí: 34.986 habitantes
  • Coxim: 33.408 habitantes
  • Maracajú: 32.492 habitantes
  • Rio Brilhante: 27.903 habitantes

Relevo

O relevo do estado é formado por planaltos, patamares e chapadões inseridos nas bacias dos rios Paraná e Paraguai.  Também é caracterizado por escarpas a leste e depressões a noroeste. Uma característica marcante é a falta de de grandes altitudes com médias que variam de 200m a 600m. O ponto mais alto é o Morro Grande, com 1.165m de altitude.

Sua formação é composta por três unidades básicas, sendo elas o Complexo do Pantanal (Extremo Oeste), Planícies (Noroeste) e Planalto com Escarpas, como a Serra do Bodoquena (Leste).

O arcabouço geológico do Mato Grosso do Sul é composto por três unidades geotectônicas distintas, sendo elas plataforma amazônica, cinturão metamórfico Paraguai-Araguaia e bacia sedimentar do Paraná. O subsolo do estado é formado pelo Aquífero Guarani.

Observa-se, ainda, a formação de dois conjuntos estruturais sobre as unidades básicas. O primeiro é mais antigo, localizado em terrenos pré-cambrianos, além de composto por falhas e dobras. O segundo é baseado em terrenos fanerozóicos da bacia sedimentar do Paraná.

Além do Morro Grande, destacam-se a Serra do Bodoquena e a Serra de Maracaju, que formam os divisores de águas das bacias do Paraguai e Paraná.

Clima

O clima sul-mato-grossense predominante é o semi-úmido, no entanto, pode variar entre tropical de altitude e tropical semi-úmido. As temperaturas médias variam de 21° a 28° C, porém, pode alcançar os 40°C no verão. Ao mesmo tempo, os termômetros registram temperaturas negativas no inverno. Nesse período, inclusive, é registrada a ocorrência de geadas.

A menor temperatura já registrada, até hoje, aconteceu em Ponta Porã, em 1975, quando foram marcados -6°C. A máxima foi registrada em Aquidauana, em 1926, com 40,8°C. No geral, o inverno é seco enquanto o verão é mais chuvoso.

Vegetação

A vegetação do Mato Grosso do Sul é variada e composta pelos biomas do Pantanal, cerrado e florestas tropicais. Dois terços do Pantanal está localizado a oeste do estado. A maior planície alagável do planeta tem flora diversificada, inclusive, por constituir vegetação de transição. Por isso, nota-se a existência de campos, cerrado, caatinga e floresta tropical.

Na maior parte do ano, a região fica alagada, o que garante o crescimento de gramíneas na época de seca. As depressões inundadas foram baías e as algas presentes nestes locais fertilizam o solo. Importante frisar que a o ecossistema foi reconhecido como patrimônio natural da humanidade pela Unesco, em 2001.

O cerrado, por sua vez, é encontrado na região leste com suas árvores retorcidas e de casca grossa, além de raízes profundas para alcançar a água no tempo de seca.

As florestas tropicais já são predominantes na parte sul do estado. Pode-se encontrar, ainda, Floresta Estacional Semidecidual, a Mata Atlântica e os Pampas.

O solo é bastante variado e pode-se encontrar 25 classes diferentes, com níveis de fertilidade natural distintas em áreas com drenagem, relevo, vegetação e erosão diferentes.

Fauna

A fauna do Mato Grosso do Sul é variada, especialmente, devido à presença do ecossistema pantaneiro. Nesta região, destaca-se a presença de jacarés, sucuris, felinos e amplo número em espécies de aves.

Recursos minerais

Os principais minérios encontrados no estado são o manganês e minério de ferro

Hidrografia

Os principais rios que correm pelo Mato Grosso do Sul são:

  • Anhanduí
  • Apa
  • Aporé ou do Peixe
  • Aquidauana
  • Correntes
  • Miranda
  • Paraguai
  • Paraná
  • Paranaíba
  • Pardo
  • Sucuriú
  • Taquari
  • Verde.

Economia

A principal atividade econômica do estado, ainda, é a agropecuária, responsável por cerca de 29% do PIB. Os principais cultivos praticados na agricultura são de soja e cana-de-açúcar, além das largas plantações de café, arroz, trigo, feijão, milho, algodão, mandioca e amendoim.

Quanto à pecuária, o rebanho sul mato grossense está entre os maiores do país. Outra setor de relevância na economia é o extrativismo mineral e vegetal. A atividade industrial vem em franco crescimento em razão dos incentivos fiscais proporcionados pelo estado. É importante destacar, também, o comércio fronteiriço, especialmente, nas zonas francas de Corumbá, Ponta Porã, Porto Murtinho e Bela Vista.

Culinária típica

Na culinária típica, destacam-se peixes, polenta, sopa paraguaia, chipa, quibebe de mamão, saltenha, caribeu e arroz boliviano. Também é típico da região o consumo do tereré, bebida similar ao chimarrão porém, servida fria. O consumo da bebida derivada da erva-mate tem origem pré-colombiana.

Turismo

O turismo, especialmente ecológico, exerce papel fundamental na economia. Entre as grandes estrelas, estão as cidades de Bonito, Miranda e Jardim,  além da região pantaneira.

Realidade do Mato Grosso do Sul

O Mato Grosso do Sul é um dos estados brasileiros que apresenta a maior taxa de urbanização do país, superior a 85%. Seu crescimento é favorecido pela própria região onde está localizado, vizinho dos grandes centros produtores e consumidores brasileiros, além da proximidade com a Bolívia e o Paraguai.

O estado possui o oitavo maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), com média de 0,802. A taxa de mortalidade infantil é de 16,9 a cada mil nascidos. Ademais, cerca de 8,7% da população não é alfabetizada. Porém, a federação apresenta problemas relacionados ao meio ambiente e serviços.

O Mato Grosso do Sul tem um dos menores índices de domicílios de esgoto no Brasil – 20%. Somados a isso, a população enfrenta problemas com poluição da ar e de rios, além do desmatamento das áreas naturais.

Geografia para Concursos
Geografia do Acre Geografia da Paraíba
Geografia de Alagoas Geografia do Paraná
Geografia do Amapá Geografia de Pernmabuco
Geografia do Amazonas Geografia do Piauí
Geografia da Bahia Geografia do Rio de Janeiro
Geografia do Ceará Geografia do Rio Grande do Norte
Geografia do Distrito Federal Geografia do Rio Grande do Sul
Geografia do Espírito Santo Geografia de Rondônia
Geografia de Goiás Geografia de Roraima
Geografia do Maranhão para Concursos Geografia de Santa Catarina
Geografia do Mato Grosso Geografia de São Paulo
Geografia do Mato Grosso do Sul Geografia de Sergipe
Geografia de Minas Gerais Geografia de Tocantins
Geografia do Pará para Concursos Geografia do Brasil
Noções de Direito Administrativo, Noções de Direito Tributário, Noções de Informática
Voltar ao topo




Deixe um comentário