Geografia do Distrito Federal para Concursos

Conteúdo programático sobre a Geografia do Distrito Federal aplicada em concursos públicos, contendo informações sobre relevo, população, clima, economia e outras.

Em dezembro de 2016, foi sancionada a Lei n° 5.768/2016, de autoria do deputado Reginaldo Veras. O texto altera as regras para a realização de concurso público e possibilita a cobrança de questões históricas, geográficas, culturais, políticas e econômicas relativas ao Distrito Federal.

Sendo assim, candidatos do DF e outros estados que participam de seleções, sendo concursos públicos ou processos seletivos, para órgãos distritais devem conhecer geografia e história da região. Por isso, trouxemos um resumo da Geografia do Distrito Federal para concursos públicos, trazendo os assuntos mais cobrados nos editais.

Contexto histórico de formação

A idealização do atual Distrito Federal partiu do, então, presidente Juscelino Kubitschek, na intenção de trazer a capital federal do Rio de Janeiro para o Centro-Oeste.  Além da possibilidade de novos tipos de desenvolvimento, a região era a que apresentava menor vulnerabilidade a ataques externos.

A Marcha para o Oeste foi impulsionada pela construção da capital federal, ocupando esta região do território nacional, até então, quase despovoadas.De fato, entre as décadas de sessenta e setenta, após a construção de Brasília, o contingente populacional da região teve um boom, graças à chegada anual de, aproximadamente, 30 mil pessoas.

A intensificação do fluxo migratório, bem como a criação de políticas públicas deu-se em função do estabelecimento da nova capital federal. Outras consequências foi a reordenação republicana do território, quando as províncias passaram a ser denominadas como estados, cada um como uma unidade da federação.

O Distrito Federal

O Distrito Federal, uma das 27 unidades federativas do Brasil, está localizado na região Centro-Oeste, mais precisamente, dentro dos limites do estado de Goiás. Sendo a menor das unidades federativas, possui área total de 5.779,999 km. A região está localizada a  15°47’ de latitude sul e a 47°56′ de longitude oeste.

Mesmo situado dentro dos limites territoriais goianos, o Distrito Federal faz divisa de pouco mais de dois quilômetros com Minas Gerais graças à rodovia DF-285. As duas UF’s são conectadas pela ponte sobre o Rio Preto com extensão de 130m. Sendo assim, os limites territoriais do DF são com Minas Gerais e Goiás.

Dados de fevereiro de 2017 apontam a população total estimada de 3,013 milhões de habitantes. A capital federal, Brasília, está localizada no Distrito Federal. Outra característica marcante é que o Distrito Federal (DF) não tem municípios mas, 31 Regiões Administrativas (RA’S), constituídas como dependentes do Governo de Brasília.

A bandeira

A bandeira do Distrito Federal tem a Cruz de Brasília no centro. A ideia é simbolizar a herança indígena e a força emanada em todas as direções, a partir do centro. O branco, rodeando a cruz, significa a paz, enquanto o verde representa as matas da região.

População

Os gentílicos nascidos no Distrito Federal como de Brasília são denominados como “brasilienses”, que significa “brasileiro”. Porém, nota-se o uso do termo “candango”, utilizado para designar os habitantes e os nascidos em Brasília. A palavra foi, originalmente, usado pelo presidente JK como referência aos trabalhadores da construção da capital.

A maioria era proveniente da Região Nordeste e sua chegada deu-se por contrato ou migração. Com o passar do tempo, o termo candango passou a designar os descendentes destes trabalhadores nascidos na cidade. Porém, a raiz histórica da palavra traz certa conotação pejorativa pois, uma de suas interpretações indica algo “ordinário, ruim”.

A população total estimada é de 3.039.444 hab., com 96,6% concentrada na área urbana e 3,4% na zona rural. O crescimento demográfico é de 2,3% enquanto a densidade demográfica média é de 410,8 hab/km². Segundo dados do IBGE, a população brasiliense está composta por brancos (49,15%), negros (4,80%), pardos (44,77%), asiáticos (0,39%) e indígenas (0,35%).

Relevo

O relevo do Distrito Federal é, predominantemente, constituído por planícies, planaltos e várzeas, com altitudes entre 600m e 1.100m acima do nível do mar. Seu ponto mais alto é o Pico do Roncador, localizado na Serra do Sobradinho, com 1.341m de altitude. Situado na Província Hidrogeológica do Escudo Central, inclui a Faixa de Dobramentos Brasília.

Nisso, ocupa a Faixa de Dobramentos Paraguai/Araguaia, além da parte sul do Cráton Amazônico. Assim, é dominada por aquíferos fraturados cobertos por solos e rochas alteradas apresentando características físicas e espessuras variáveis.

Clima

O clima predominante no Distrito Federal é o tropical, com temperatura média de 22°C e variações de 13°C a 28°C. Mas, a amplitude térmica na região é bastante conhecida por moradores e visitantes que, pela manhã, sentem bastante frio e, à tarde, presenciam temperaturas mais altas.

O período chuvoso compreende outubro a maio, ou seja, o fim da primavera e do verão. Há presença de fortes chuvas de curta duração, apresentando umidade relativa do ar de 70%. Os meses de maio a setembro apresentam dias mais quentes e umidade baixa. O período de seca na região pode durar até cinco meses.

Vegetação

O bioma predominante no Distrito Federal é o Cerrado, o segundo maior bioma da América do Sul. Conhecido como savana mais rica do mundo, o cerrado comporta 11.627 espécies de plantas. A flora é constituída por espécies adaptáveis ao clima seco, terrenos com pouca água e baixo nível de nutrientes.

A principal característica dessa vegetação são árvores de caules e galhos tortuosos, com folhas e casca grossas. Somente na região do DF, são aproximadamente 150 espécies, a maioria nativa do cerrado, com altura de 15m a 25m. Muitas das espécies foram tombadas como Patrimônio Ecológico do Distrito Federal. Como exemplos, citamos:

  • paineira
  • pindaíba
  • ipê-amarelo
  • ipê-roxo
  • buriti
  • pau-brasil

O ipê, aliás, é a grande estrela do cerrado e se tornaram a marca registrada de Brasília, a capital federal. Facilmente espalhada por seu território, floresce no período do inverno e pode apresentar flores nas cores roxa, branca, rosa ou amarela. Medidas de preservação da fauna e da flora culminaram na criação de unidades de conservação.

Além delas, houve a limitação de áreas protegidas ambientalmente, reservas ecológicas e a criação do Parque Nacional de Brasília. Em meio à vasta vegetação, fauna com cerca de 60 mil espécies diferentes pode ser encontrada, com destaque para a onça-pintada, veado-campeiro, suçuarana, lobo-guará, tamanduá-bandeira e tatu-canastra.

Hidrografia

O território do DF está localizado no alto regional e, por isso, é um divisor natural de três grandes bacias hidrográficas – Paranoá, Preto e Maranhão. Em 2010, por Decreto Administrativo, foi dividido em três comitês de bacias hidrográficas:

  • Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paranoá: limites da região hidrográfica do Paraná
  • Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Preto: limites da região hidrográfica do São Francisco
  • Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Maranhão: limites da região hidrográfica do Araguaia-Tocantins

Os principais rios que banham a região do Distrito Federal são Maranhão, Descoberto, Paranoá, Preto e São Bartolomeu.

Economia

O Distrito Federal abriga o centro político brasileiro e representa um importante centro econômico. É a sétima UF com o maior produto interno bruto (PIB) – 171,2bi em 2012 – e o maior PIB per capita do país – 64.653 em 2012. As principais atividades econômicas da região são:

  • função administrativa (Brasília)
  • indústria alimentícia, não poluente, pesqueira, transformação, distribuição (elétrica e gás), transporte, imobiliária
  • serviços
  • construção civil
  • varejo
  • agricultura permanente (abacate, banana, café, goiaba, laranja, limão, mamão, manga, maracujá, urucum, tangerina, uva) e temporária (abacaxi, alho, algodão, arroz, batata-doce, amendoim, cana-de-açúcar, feijão, soja)
  • avicultura
  • pecuária (suínos, bovinos, asininos, equinos, bubalinos, muares, coelhos)

Sobre Brasília

O projeto urbanístico de Brasília foi desenvolvido por Lúcio Costa com projeto arquitetônico idealizado por Oscar Niemeyer. Em 41 meses, 30 mil operários construíram a capital durante o governo de Juscelino Kubitschek. Sua inauguração deu-se em 21 de abril de 1960, com data escolhida para homenagear Tiradentes.

A principal atração do DF foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em 1987. O fato de ter sido a primeira cidade construída no século XX para fins de capital federal e seu valor arquitetônico contribuíram para o seu reconhecimento.

Brasília é uma cidade planejada que possui o formato de uma avião (Plano Piloto). Seu território engloba as seguintes regiões

  • Asa Sul
  • Asa Norte
  • Setor Militar Urbano
  • Setor de Garagens e Oficinas
  • Setor de Indústrias Gráficas
  • Área de Camping
  • Eixo Monumental
  • Esplanada dos Ministérios
  • Setor de Embaixadas Sul e Norte
  • Vila Planalto
  • Granja do Torto
  • Vila Telebrasília
  • Setor de Áreas Isoladas

O que são as cidades satélite?

Como mencionado, o Distrito Federal não possui municípios mas, regiões administrativas autônomas que, entretanto, são interligadas ao governo de Brasília que, também, denominam seus administradores. Também chamadas de cidades-satélite, as 31 RA’s componentes do Distrito Federal são:

  • Plano Piloto
  • Gama
  • Taguatinga
  • Brazlândia
  • Sobradinho
  • Planaltina
  • Paranoá
  • Núcleo Bandeirante
  • Ceilândia
  • Guará
  • Cruzeiro
  • Samambaia
  • Santa Maria
  • São Sebastião
  • Recanto das Emas
  • Lago Sul
  • Riacho Fundo
  • Lago Norte
  • Candangolândia
  • Águas Claras
  • Riacho Fundo II
  • Sudoeste/Octogonal
  • Varjão
  • Park Way
  • SCIA
  • Sobradinho II
  • Jardim Botânico
  • Itapoã
  • SIA
  • Vicente Pires
  • Fercal

Realidade e principais problemas

Atualmente, 88,8% da população tem acesso à rede de esgoto e 95,4% à água tratada. A coleta de lixo é realizada, a priori, a 92% dos habitantes. A taxa de analfabetismo registrada é de 3,4%. Apesar disso, Brasília apresenta a maior desigualdade de renda entre as capitais, além de registrar um dos maiores índices de homicídios.

Geografia do Distrito Federal para Concursos
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário